sábado, agosto 30, 2014

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, atribuiu há pouco o fraco desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre – com queda de 0,6% em relação ao período anterior - à baixa demanda no comércio internacional e também a problemas conjunturais internos, como os efeitos da estiagem - que levou ao aumento do custo da energia elétrica - e ao menor número de dias úteis em junho, devido aos dias de jogos da Copa do Mundo.

Na avaliação de Mantega, mesmo com o fato de ter ocorrido dois trimestres seguidos de queda no PIB - que já havia caído 0,2% no trimestre anterior - seriam necessários mais resultados negativos para se ter certeza de que o país entrou em recessão. Ele assinalou que os primeiros indicativos da produção industrial para o terceiro trimestre já mostram recuperação do crescimento econômico. Ele ainda enfatizou que a inflação também já deu sinais de acomodação, e a massa salarial permanece em alta.

"Na minha opinião, não dá para falar em recessão. Recessão é uma parada prolongada, como ocorreu com os países europeus e ocorre quando há desemprego", avaliou. Ele disse que, no primeiro semestre, o Brasil conseguiu criar 500 mil novas vagas de trabalho.

Para o ministro, o mercado consumidor interno também deve reagir com a liberação de depósitos compulsórios e outras medidas anunciadas na semana passada pelo Banco Central, com a entrada de mais recursos para financiamento de bens duráveis. “Temos um mercado consumidor crescendo e a inadimplência caindo, com possibilidade de aumentar a demanda”, avaliou o ministro.

Como o resultado do PIB ficou aquém do esperado, Mantega disse que, muito provavelmente, o governo vai ter que rever a meta de crescimento de 1,8% prevista para este ano, mas ele manifestou expectativa de que a revisão do resultado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) não confirme a queda. Mantega falou no escritório regional da Presidência da República em São Paulo.

O ministro disse que a produção do superávit primário foi afetada com o cenário internacional desfavorável, mas ele mostrou confiança sobre a melhoria no resultado de julho divulgado hoje pelo Tesouro Nacional, que registrou o pior desempenho da série histórica, iniciada em 1997. De acordo com Mantega, os dados indicados pelo BNDES mostram aumento das vendas de máquinas e equipamentos no segundo trimestre e que isso deve repercutir no médio prazo. “Nós temos um dos maiores superávits do mundo e há condições de fazermos um maior ainda”, garantiu.

ageciabrasil
Ao avaliar os recentes episódios de violência em centros prisionais de vários estados do país, o representante para a América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos (Acnudh), Amerigo Incalcaterra, disse hoje (29) que o Brasil precisa rever sua política criminal baseada “no uso excessivo da privação de liberdade como punição a crimes”.

A reação do organismo da ONU, cuja representação para a América do Sul está instalada em Santiago, Chile, ocorre em semana na qual morreram oito internos em situações de violência em presídios do Paraná, de Minas Gerais e do Maranhão.
Rebelião em presídio de CascavelRebelião em presídio de Cascavel com cinco mortes causou preocupação a representante da ONUReprodução/TV Brasil




“Não é Nadmissível que, no Brasil, a violência e as mortes dentro das prisões sejam percebidas como normais e cotidianas. As autoridades brasileiras devem reagir com urgência para construir um sistema carcerário respeitoso da dignidade humana, com envolvimento de todos os poderes do Estado e em conformidade com os compromissos e obrigações internacionais do país”, disse Incalcaterra.

O representante da ONU cobrou apuração “rápida e imparcial” das autoridades brasileiras dos crimes cometidos dentro das cadeias e reforçou ainda “ser urgente” a implementação de treinamentos, com ênfase em políticas de direitos humanos, para todos aqueles que atuam no sistema penitenciário.

“Ficamos consternados com o nível de violência observado recentemente nos presídios brasileiros. Infelizmente, esses não são fatos isolados, ocorrem com frequência em inúmeros centros de detenção em todo o país”, lamentou.

O pronunciamento fez referência às cinco mortes, sendo duas por decapitações, durante rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel (PR), além dos dois motins que resultaram em duas mortes, em Minas Gerais, e a 14ª morte, em 2014, no Complexo Penitenciário de Pedrinha, no Maranhão,ocorrida na noite da última quarta-feira (27).

“Superlotação, condições penitenciárias inadequadas, torturas e maus-tratos contra detentos são uma realidade em muitos presídios do Brasil que também contribuem para a violência e constituem em si uma grave violação aos direitos humanos”, criticou.

agenciabrasil
Pesquisa Datafolha divulgada hoje (29) mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) e a candidata Marina Silva (PSB) empatadas no primeiro turno das eleições presidenciais. Cada uma aparece com 34% das intenções de voto. A seguir, Aécio Neves (PSDB) aparece com 15% das intenções.  A pesquisa foi encomendada pela Rede Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo.

Na pesquisa anterior, divulgada no dia 18, Dilma tinha 36% das intenções de voto, Marina, 21%; e Aécio, 20%.

O candidato Pastor Everaldo (PSC) aparece com 2% das intenções na sondagem divulgada hoje. Os demais candidatos: Luciana Genro (PSOL), Eduardo Jorge (PV), Zé Maria (PSTU), Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) têm juntos 1%. Votos nulos ou brancos somam 7% e são também 7% os indecisos.

De acordo com a pesquisa, na simulação de um segundo turno entre Dilma e Marina, a candidata do PSB alcançaria 50%, contra 40% da atual presidenta. Na pesquisa anterior, Marina tinha 47% e Dilma 43%. Já em um confronto entre Dilma e Aécio, o tucano perderia por 48% a 40%. O Datafolha não realizou simulação de segundo turno entre Marina e Aécio.

Em pesquisa espontânea, quando se pergunta a intenção de voto do eleitor sem mostrar a lista com os nomes dos candidatos, Dilma tem 27% das intenções de voto, Marina chega a 22% e Aécio tem 10%. O número de eleitores indecisos chega a 32% e os que votariam branco ou nulo são 3%.

Dilma tem 35% de rejeição, Pastor Everaldo, 23%; Aécio, 22%; Zé Maria, 18%; Eymael, 17%; Levy Fidelix, 17%; Rui Costa Pimenta, 16%; Luciana Genro, 15%; Marina Silva, 15%; Eduardo Jorge, 14%; e Mauro Iasi, 14%.

A avaliação do governo Dilma foi considerada ótima ou boa por 35% dos entrevistados. Os que responderam regular somam 39%. Já os que consideram o governo ruim ou péssimo foram 26%. E 1% não soube responder.

O nível de confiança da pesquisa é 95%, com margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Foram feitas 2.874 entrevistas, ontem (28) e hoje, em 178 municípios. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00438/2014.

agenciabrasil

sexta-feira, agosto 29, 2014

O vice prefeito de Assunção Manoel Batista da Silva (PTB) confirmou hoje pela manhã o apoio ao candidato a governador Ricardo Vieira Coutinho do PSB.

A ratificação veio depois que alguns portais de notícias do cariri divulgaram matéria incluindo o nome do político entre os apoios ao candidato tucano Cássio Cunha Lima do PSDB. 

Batista como é mais conhecido em Assunção falou com nossa reportagem sobre o episódio "não sei como tal matéria foi publicada sem que eu desse qualquer declaração nesse sentindo. Nossa assessoria já fez contato com os diretores dos portais de notícias e solicitou a retificação da informação, o que esperamos acontecer em breve".

O vice prefeito falou sobre os nomes que está apoiando nessa eleição "eu faço parte do grupo político que é liderado pelo prefeito Rafael Oliveira e pelo ex prefeito Vogel Oliveira, nossa maior referência, e como membro desse coletivo apoio os candidatos que são votados  pela nossa equipe, entre eles o governador Ricardo Coutinho". Ponderou.  

Manoel Batista da Silva disse que tem duas décadas de vida pública dedicadas a Assunção e que sempre esteve do mesmo lado em todas as eleições, incluindo as estaduais. 

A respeito da mediação que teria sido feita através do Deputado Estadual João Henrique para leva-lo a apoiar Cássio, Batista explicou: "tenho muito respeito pelo deputado João Henrique do DEM, mas meu voto vai para Antônio Mineral do PSDB, nunca se quer estive com João Henrique em qualquer momento desse processo eleitoral, é realmente lamentável a conotação que deram a esse assunto" lamentou o vice prefeito.

Manoel Batista ocupou por quatro mandatos o cargo de vereador e atualmente é vice prefeito de Assunção, ao final ele afirmou ter muito respeitado pela imprensa paraibana, mas acrescentou que os jornalistas precisam estar mais atentos antes de publicizar certas informações.   

da redação


Dado do 1º tri foi revisado para recuo de 0,2%, configurando recessão técnica. Queda nos investimentos teve forte impacto no resultado.


A economia brasileira encolheu 0,6% no segundo trimestre deste ano, na comparação com os três meses anteriores, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Variação PIB 2012-2014 - matéria (Foto: G1)
O dado do primeiro trimestre de 2014 – que, ao ser divulgado, em maio deste ano, indicava expansão de 0,2% – foi revisado para queda de 0,2%. Com a sequência de dois trimestres seguidos de queda, configura-se um quadro que os economistas chamam de recessão técnica.
A última vez que o Brasil registrou uma recessão técnica foi no último trimestre de 2008 e primeiro de 2009, durante a crise econômica mundial.
Em valores correntes (em reais), o Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre deste ano chegou a R$ 1,27 trilhão. Ele é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, e serve para medir a evolução da economia. Esse cálculo pode ser feito tanto do lado da produção (riquezas) quanto dos gastos (demanda) – os dois valores são iguais.
Os principais impactos no PIB entre abril e junho vieram do recuo nos investimentos (5,3%) e na indústria (1,5%). Para analistas ouvidos pelo G1, a Copa e a crise na indústria foram decisivos para o resultado. "A principal causa foi a queda dos investimentos. Já tem algum tempo que eles estão caindo, mas a queda foi forte nesse trimestre", analisa Rebeca de La Rocque Palis, gerente da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE.
Na comparação com igual período do ano passado, a queda do PIB foi de 0,9%. No acumulado em quatro trimestres encerrados no 2º trimestre de 2014, a atividade doméstica ainda registra alta, mas de apenas 1,4%.
  •  
  •  
ENTENDA O QUE É RECESSÃO
Recessão técnica           
Quando o PIB fica negativo por 2 trimestres seguidos.

Funciona como um alerta, e não significa que a economia vai piorar. É possível a recuperação no curto prazo.
Recessão
Quando o PIB fica negativo por 3 ou mais trimestres seguidos, e a economia se deteriora.

Há queda na produção, aumento do desemprego e de falência de empresas. A recuperação fica mais difícil.
Fonte: Claudemir Galvani, economista da PUC-SP
Recessão técnica
Ao comentar a situação de recessão técnica, o IBGE entende que houve estabilidade na economia no primeiro trimestre. "A gente considera queda e crescimento quando o numero é de 0,5 pra cima e queda de 0,5 para baixo", explica Rebeca.

Como é considerada a possibilidade de recuperação no curto prazo, a recessão técnica difere de uma recessão mais profunda, quando há também aumento do desemprego e falência de empresas.
Após a divulgação do PIB, o ministro Guido Mantega disse que não se deve falar em recessão. "Para mim, é uma parada prolongada", afirmou. "Estamos falando de dois trimestres, e sabemos que a economia está em movimento. Recessão é quando tem desemprego aumentando e a renda caindo, aqui temos o contrário."
Menos investimentos
Os investimentos sofreram forte queda de 5,3% em relação ao trimestre anterior (1º trimestre de 2014), puxando o resultado negativo do PIB.

Na comparação com igual período do ano passado a baixa chega a 11,2%.
"O destaque negativo são realmente os investimentos, que já têm quatro trimestres com taxas negativas e a taxa ainda mais negativa nesse trimestre”, afirma Rebeca.   "O menor resultado antes desse foi no primeiro trimestre de 2009, quando (os investimentos) caíram 11,8%."
Segundo a analista, a queda forte é influenciada por outros componentes do investimento, como construção civil e produção de máquinas e equipamentos.
  •  
Variação do PIB - Demanda - 2º trimestre 2014 - matéria (Foto: G1)
Gastos do governo
Os gastos do governo recuaram 0,7% em relação ao trimestre anterior. "O consumo do governo [nesse trimestre] foi o menor desde o terceiro trimestre de 2012, quando teve queda de 0,8%”, completou Rebeca.

Na comparação com igual período de 2013, houve expansão de 0,9%.
Consumo das famílias
O consumo das famílias cresceu a uma taxa de 0,3%, e, em relação ao 2º trimestre do ano anterior, a expansão foi de 1,2%.

"A gente vê menos (crescimento) do que o que tinha ocorrido no primeiro trimestre, mas continuou crescendo", avalia a gerente. O IBGE só considerou as quatro regiões que foram divulgadas pela Pesquisa Mensal de Emprego (Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Recife), e não considerou Salvador e Porto Alegre na conta.
Exportações
Quanto ao setor externo, as exportações de bens e serviços cresceram 2,8%, enquanto as importações apresentaram queda de 2,1%, em relação ao primeiro trimestre de 2014.

Na comparação anual, as vendas para o exterior tiveram alta de 1,9%, enquanto as importações recuaram 2,4%, de acordo com o IBGE.
PIB por setores - 2º trimestre de 2014 (Foto: G1)
Indústria
Dos três setores analisados pelo IBGE para o cálculo do PIB, apenas um mostrou variação positiva, o de agropecuária, que teve ligeira alta, de 0,2% no segundo trimestre ante o trimestre anterior.

“A indústria como um todo teve queda de 1,5%, foi a taxa mais baixa desde o segundo [trimestre] de 2012, que também caiu 1,5%", afirma a gerente de Contas Nacionais.
O IBGE destacou o desempenho ruim da indústria automotiva, que teve férias coletivas no perioodo e baixa exportação. "Argentina e Venezuela estão passando por problemas, e nós exportamos para lá, não está havendo renovação interna da frota (de veículos)", analisa Rebeca, "E teve aumento do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados, no início do ano), que recai sobre vários produtos da indústria automotiva”.
Na contramão, as indústrias de alimentos e bebidas, perfumaria e indústria farmacêutica  cresceram no segundo trimestre.
Serviços
O setor de serviços teve queda de 0,5%. "Foi a menor taxa desde o quatro trimestre de 2008, que foi 2,8%", diz Rebeca. "Serviços de informação continuam sendo um dos setores que mais crescem, mas a parte de energia elétrica, água e esgoto não cresceu tanto.”

Em relação ao segundo trimestre do ano passado, o setor de agropecuária não teve variação; serviços sustentaram alta de 0,2%; e a indústria apresentou queda de 3,4%, na mesma base de comparação.
Previsão para o ano
Para 2014, a previsão de economistas do mercado financeiro é de alta 0,7%, segundo o boletim mais recente divulgado pelo Banco Central. Essa projeção vem caindo desde o início do ano e motivou o jornal "Financial Times" a comparar o movimento à "dança da cordinha",  desafio em que é preciso passar sob a corda colocada cada vez mais perto do chão.

A expectativa do governo para o PIB deste ano é um pouco mais otimista: crescimento de 1,8%, segundo a divulgação mais recente, feita em julho. Ela foi revista em relação à inicial, de que a alta neste ano seria semelhante à de 2013, que foi de 2,5%.

G1

quinta-feira, agosto 28, 2014


A prefeitura da cidade do Junco do Seridó que fica localizada da micro região do seridó implantou sinal digital de TV para a população. 

A ação fez parte de um conjunto de medidas destinadas a melhorar a qualidade da TV aberta dentro do pequeno município. 

O Governo Municipal além de construir uma nova estação para abrigar os equipamentos realizou também a substituição da torre que retransmite o sinal possibilitando com isso a abertura do sinal digital para os usuários que já dispõe de aparelhos com conversou digital. 

O prefeito Branco Simões comentou o resultado da ação com nossa reportagem. Ele disse que a boa transmissão do sinal de TV além de um direito constitui como uma importante prática de lazer e também de cultura para o povo.

Simões disse ainda que a ação foi totalmente necessária visto que os antigos equipamentos estavam totalmente sucateados. 

Da redação







Análises entregues ao Cenipa foram criticadas por Antonio Campos. Irmão de Campos pede que causas do acidentes sejam esclarecidas.

COM G1

O irmão de Eduardo Campos (PSB), Antonio Campos, esteve no local do acidente aéreo que matou o político e outras seis pessoas em Santos, no litoral de São Paulo. Além de prestar solidariedade às vítimas que tiveram danos materiais por conta do episódio e falar sobre os rumos das investigações, também criticou o trabalho de análise sobre as turbinas e a caixa preta da aeronave.
Antonio questionou o tempo levado para que os laudos ficassem prontos. Segundo ele, houve muita rapidez nesse caso. “Fazer a perícia em uma turbina em dois dias é muito rápido. Assim como analisar uma caixa preta em um dia é muito rápido. Eu acho que foi tudo muito rápido”, diz o parente de Campos, que está habilitado pela família para acompanhar as investigações do Ministério Público sobre o caso.
A função do Centro de Investigações e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que recebeu os laudos sobre as turbines e a caixa preta, é investigar se as condições climáticas eram aceitáveis no momento do acidente, se problemas mecânicos aconteceram ou se uma falha humana provocou o acidente.
O resultado do diagnóstico das turbinas foi encaminhado ao Cenipa para que seja analisado. No aguardo de uma resposta, Antonio Campos espera que o caso seja elucidado. “Eu confio na justiça brasileira. Inclusive, eu fiz uma carta que deposito grande esperança no Ministério Público do Brasil e vamos serenamente esperar pela justiça. Nós apenas queremos a verdade dos fatos. É só isso que nós queremos”, ressalta.

O irmão de Campos também destaca a dor sentida por ele e seus familiares, após a morte repentina do ex-governador pernambucano e que foi sucedido por Marina Silva na candidatura à Presidência. “São fatos que a gente procura entender, mas que é muito difícil. Quando eu entrei aqui e vi onde caiu o avião, me passou muita dor. Fiz as minhas orações por ele e pelas outras pessoas que perderam suas vidas aqui. Nós pedimos forças para Deus, para que nos dê serenidade e nos coloque firmes no caminho certo. A dor da saudade que nós sentimos dele é diária”, conclui.

 
O caso
A queda do avião ocorreu por volta das
10h do dia 13 de agosto, no bairro do
Embaré, em Santos. O candidato tinha
uma agenda de campanha na cidade.

A Aeronáutica informou em nota que o avião decolou do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto de Guarujá, também no litoral. "Quando se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave", informou.

Além de Campos, outras 6 pessoas estavam na aeronave: Alexandre Severo Silva, fotógrafo; Carlos Augusto Leal Filho (Percol), assessor; Geraldo Magela Barbosa da Cunha, piloto; Marcos Martins, piloto; Pedro Valadares Neto e Marcelo de Oliveira Lyra. A Polícia Federal (PF) enviou seis peritos para Santos a fim de trabalhar na apuração da causa do acidente. Aeronáutica e Polícia Civil também investigam o caso.
Investigação
Técnicos da Aeronáutica estiveram no dia 20 de agosto no local onde foram feitas as imagens que mostram a queda do avião, em Santos. As imagens foram obtidas com exclusividade pela TV Tribuna, afiliada da TV Globo. A gravação foi repassada aos peritos, que conversaram com quem estava no local no dia do acidente. As imagens do sistema de monitoramento foram feitas de um estande de vendas deu m prédio em construção.

A Força Aérea Brasileira (FAB), responsável pela investigação do acidente aéreo afirmou que já foram extraídas e analisadas por quatro técnicos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) as duas horas de áudio da caixa-preta do jato que conduzia o ex-governador pernambucano para o litoral paulista. Entretanto, segundo a própria FAB, a gravação da caixa-preta do avião com prefixo PR-AFA não é do voo de Campos e sim de um outro voo realizado dias antes.
Em nota, a Força Aérea afirmou que, até o momento, não é possível determinar a data dos diálogos registrados na caixa-preta encontrada em Santos, em razão de o equipamento não arquivar esse tipo de informação.
A Aeronáutica informou ainda ter constatado que o jato particular em que viajava o ex-governador de Pernambuco estava com o trem de pouso e os flaps recolhidos. O trem de pouso é composto por equipamentos e pneus para permitir a aterrisagem de aeronaves e os flaps são instrumentos na asa que reduzem a velocidade de aviões.
Reportagem publicada no dia 19 de agosto no jornal "Folha de S.Paulo" revelou que a Cessna, fabricante do jato Citation 560 XL, o mesmo modelo em que Campos viajava, alertou para o risco de a aeronave mergulhar abruptamente durante procedimento feito em subidas e arremetidas. O procedimento apontado pela fabricante é o recolhimento dos flaps.
O Centro de Investigações e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) recebeu os laudos de análise das turbinas do avião nesta terça-feira (26).
Queda do avião destruiu local do acidente (Foto: Mariane Rossi / G1)Queda do avião destruiu local do acidente (Foto: Mariane Rossi / G1)

Para conseguir benefícios, trabalhador primeiro deve entrar com pedido no INSS. Se for negado ou demorar, aí sim caminho poderá ser a Justiça.


O Supremo Tribunal Federal decidiu que os trabalhadores não podem mais entrar diretamente com ação na Justiça para pedir benefício da Previdência.
Agora, para conseguir um benefício como a aposentadoria, o trabalhador primeiro vai ter que entrar com o pedido no INSS. Se for negado ou a resposta demorar mais de 45 dias, prazo dado pela lei, aí sim o caminho poderá ser a Justiça.
“Muitas vezes ou por desinformação ou por má orientação, o segurado ia brigar na Justiça durante muitos meses, quando não anos, por um benefício que era possível obter diretamente no INSS”, afirma o ministro Luís Roberto Barroso, relator.
Segundo a Previdência, hoje o prazo médio para a concessão de benefícios é de 33 dias.
A decisão foi tomada no caso de uma trabalhadora rural que entrou na Justiça com um pedido de aposentadoria por invalidez sem procurar o INSS. Mais de oito mil processos semelhantes estão nos tribunais e o Supremo ainda vai decidir, na semana que vem, se eles serão julgados ou arquivados.
A Confederação Brasileira de Aposentados diz que alguns trabalhadores, principalmente rurais, procuram o advogado porque é difícil ir a uma agência da Previdência.
“Onde eu moro mesmo não existe nem agência do INSS. A pessoa tem que ligar para o 135, e aí vão marcar um dia para a pessoa ir lá levar toda a documentação”, explica Moacir Meirelies de Oliveira, Cobap.
O procurador que representou o INSS diz que a decisão não prejudica os trabalhadores.
“No caso da decisão do INSS não lhe satisfazer, aí sim eles vão poder se socorrer do poder judiciário”, aponta Marcelo de Siqueira Freitas, procurador federal.

JN
O Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em Inglês) anunciou hoje (28) que vai começar, na próxima semana, os testes de uma vacina contra o vírus ebola em seres humanos. Em fase inicial, os primeiros experimentos serão realizados em 20 voluntários, na sede do Instituto, em Bethesda, estado de Maryland, próximo à capital, Washington. A informação foi divulgada pelo diretor do NIH, Francis Collins, durante entrevista coletiva.
Segundo ele, o instituto já estava trabalhando no projeto da vacina a cerca de uma década, mas a situação de descontrole da doença no oeste africano fez com que a pesquisa seja "acelerada".

"Tivemos de adotar medidas extraordinárias para iniciar os estudos o mais rápido possível", afirmou Collins. A pesquisa é realizada pelo NIH, em parceria com outra agência estatal americana, o Instituto Nacional de Alergia e Enfermidades Infecciosas (Niaid), e também tem o apoio da indústria farmacêutica privada GlaxoSmithKline.

O diretor do Niaid, Anthony Fauci, também participou da entrevista e falou da necessidade de encontrar uma resposta eficaz e rápida, devido ao iminente risco de proliferação do virus ebola.

"A epidemia de ebola já contaminou mais de 3 mil pessoas e matou mais da metade dos infectados. A situação está sem controle, e por isso é preciso trabalhar em todas as frentes possíveis, com os métodos tradicionais de isolamento das pessoas infectadas, novos medicamentos, mas também na busca de uma  resposta de prevenção imunológica", segundo Fauci.
Ele justificou a participação da GlaxoSmithKline como "copesquisadora", devido à necessidade de se produzir uma vacina em larga escala, caso o resultado da pesquisa seja satisfatório. Ele explicou que foi difícil, por exemplo, produzir doses suficientes do medicamento experimental ZMapp, desenvolvido em San Diego, Estados Unidos, e "a empresa doou todas as doses disponíveis para o tratamento de infectados".

Foi com o ZMapp que os dois norte-americanos contaminados em julho, na Líberia, foram tratados e conseguiram se recuperar da doença, em Atlanta, no estado da Georgia.

Os voluntários serão avaliados nove vezes durante 48 semanas, e para garantir a segurança dos voluntários - todos, adultos saudáveis - os cientistas vão dar a vacina para apenas três pessoas ao mesmo tempo, a fim de verificar a segurança antes de vacinar outros voluntários. "A segurança é primordial, quando se faz testes com drogas experimentais em pessoas saudáveis", afirmou 
O Supremo Tribunal Federal (STF) propôs hoje (28) um projeto de lei para aumentar os salários dos ministros da Corte. Conforme a proposta, a partir do dia 1º de janeiro de 2015, o valor deve passar de R$ 29.462,25 para R$ 35,919,00. O aumento, se aprovado pelo Congresso Nacional, terá impacto em todo o Poder Judiciário, no qual os salários dos juízes são calculados de acordo com os subsídios pagos aos ministros do Supremo. 

Com a aprovação, o projeto de lei do Supremo será encaminhado amanhã (29) ao Congresso, onde será votado com o Orçamento da União. Para calcular o aumento, os ministros levaram em conta a recomposição inflacionária de 16,11%, referente ao período de 2009 a 2014.

Um aumento para os ministros já estava previsto para o dia 1º de Janeiro de 2015. O reajuste foi definido na Lei nº 12.771, de 28 de dezembro de 2012, que definiu o valor dos vencimentos dos ministros até 2015, quando os vencimentos passariam para R$ 30.935,36.
A votação do aumento foi decidida em sessão administrativa, que não foi transmitida pela TV Justiça. O sinal foi cortado após o início da votação. No entanto, a sessão continuou aberta ao público que estava no plenário.

Ontem (27), a presidenta Dilma Rousseff vetou um artigo da lei que institui a gratificação por exercício cumulativo de ofícios dos membros do Ministério Público da União (MPU). O artigo vetado incluía juízes federais dentre os cargos contemplados com a gratificação, no caso de acumulação de juízo, acervo processual ou função administrativa.

agencia brasil