EM DESTAQUE

Conselheiro do TCE elogia processo de transição em Juazeirinho

O prefeito Jonilton Fernandes esteve em João Pessoa essa semana em reunião com o Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado - TCE - Dout...

Rádio Online

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Chove no cariri, mas açude de Boqueirão continua sem receber água

Uma das regiões mais penalizadas pela seca que já castiga a Paraíba há cerca de quatro anos, o Cariri voltou a registrar chuva nos últimos dias, renovando as esperanças dos paraibanos de que o inverno de 2016 seja bom e amenize os problemas decorrentes da estiagem prolongada. Apesar da expectativa gerada pelo retorno da chuva na região, o açude Epitácio Pessoa (Boqueirão) permanece, desde sábado, com apenas 12,6% de seu volume total. Desde o dia 24, o reservatório recebeu apenas um centímetro de recarga, mesma quantidade que perde diariamente com a evaporação e para abastecer os 19 municípios que dele dependem.

De acordo com o gerente de Hidrometria e Monitoramento da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Alexandre Magno, a recarga ocorreu entre os dias 24 e 25 deste mês. No dia 24, o volume do açude era de 51,9 milhões de metros cúbicos (m³), subindo para 52.068 milhões de m³ no dia seguinte. Já no último sábado, o volume retornou ao índice do dia 24 e desde então o reservatório não recebeu recarga, atingindo ontem a marca de 51.813 milhões de m³. 

“A recarga só foi sentida durante um dia. Mesmo com chuva em algumas cidades do Cariri, para que chegue água ao açude é necessário chover na bacia de Boqueirão, mas também que haja uma quantidade de escoamento suficiente para que essa água chegue ao reservatório”, explicou Alexandre Magno, ao salientar que a recarga em Boqueirão depende do volume da chuva, mas também do intervalo de tempo e do local em que ela ocorre. 

Segundo a Aesa, no mês de dezembro ocorreram chuvas isoladas em pelo menos 104 dos 129 municípios monitorados na Paraíba. Conforme a meteorologista da Aesa, Carmen Becker, as precipitações do mês variaram de fracas a moderadas e não foram persistentes, durando no máximo dois dias. No caso do Cariri, a maior precipitação foi registrada em Coxixola, onde choveu 55 milímetros no dia 25.  

“Esse ainda não é o período de chuvas, estamos ainda na pré-estação. A partir de fevereiro, espera-se que uma grande parte dos municípios seja favorecida, uma vez que esse é um período chuvoso principalmente no Sertão, Cariri e Curimataú’, explicou a meteorologista.
Proxima Anterior Inicio