EM DESTAQUE

Comissária sobrevivente defende piloto: "Morreu como herói"

A comissária de bordo sobrevivente do voo com o time da Chapecoense, Ximena Suárez Otterburg saiu em defesa do piloto Miguel Quiroga, que ...

Rádio Online

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

FILHO DE LULA É INVESTIGADO NA VENDA DE MEDIDAS PROVISÓRIAS

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia negou o pedido da defesa do filho mais novo do ex-presidente Lula, Luís Claudio Lula da Silva, para que ele tivesse acesso ao conteúdo integral do inquérito da Operação Zelotes, na qual ele é investigado. A defesa argumentou que o direito de defesa de Luís Claudio está prejudicado sem o conhecimento total das investigações. O conteúdo da decisão da ministra não foi publicado. 

Luís Claudio recebeu R$ 2,5 milhões da Marcondes & Mautoni, consultoria contratada pelas montadoras para fazer o lobby por medidas provisórias. Os sócios da consultoria, Mauro e Cristina Marcondes, estão presos pela Polícia Federal e já foram denunciados. 

O esquema de compras da MP foi revelado pelo Estado em uma série de reportagens. O filho do ex-presidente já prestou depoimento.

Wikipedia. Perícia da Polícia Federal identificou que o trabalho que Luís Claudio diz ter prestado para a Mautoni se resume a uma cópia de material produzido na internet, em especial o site Wikipedia. 

A defesa de Luís Claudio rechaça a tese da de que o trabalho de consultoria, via LFT Marketing Esportivo Ltda., foi baseado em "meras reproduções de conteúdo disponível na rede mundial de computadores, em especial no site do Wikipedia". 

"São improcedentes e descabidas as manifestações da PF", disse o advogado Cristiano Zanin Martins. "Adjetiva-se no lugar de se produzir provas. Não se aceita a afirmação de que os conteúdos sejam meras ‘cópias’ de materiais extraídos da internet."

A Polícia Federal já indiciou 19 pessoas supostamente envolvidas no esquema. Luís Claudio Lula da Silva não consta da relação dos indiciados.
Proxima Anterior Inicio