EM DESTAQUE

Comissária sobrevivente defende piloto: "Morreu como herói"

A comissária de bordo sobrevivente do voo com o time da Chapecoense, Ximena Suárez Otterburg saiu em defesa do piloto Miguel Quiroga, que ...

Rádio Online

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

TESTEMUNHAS RELATAM VISITAS DE LULA E DE SUA MULHER A APARTAMENTO REFORMADO PELA OAS NO GUARUJÁ

Em depoimento ao Ministério Público de São Paulo, diferentes testemunhas atestaram que o apartamento tríplex do edifício Solaris, na praia do Guarujá, em São Paulo, foi construído e reformado pela OAS para a família do ex-presidente Lula, ao contrario das tentativas de desmentido.

Os promotores do caso, os mesmos que já investigavam os desvios milionários na Bancoop, a cooperativa habitacional do Sindicato dos Bancários de São Paulo, há décadas controlados pelo PT, agora apuram se a empreiteira OAB, uma das mais enroladas no petrolão, usou apartamentos no prédio do Guarujá para lavar dinheiro e beneficiar indevidamente figurões como Lula.

Os depoimentos confirmam denúncia da revista Veja, publicada em outubro, e trazem detalhes de como a reforma no apartamento de Lula. Um engenheiro que trabalhava para a OAS quando a obra foi executada contou que Lula fez uma "vistoria-padrão" no apartamento. Ele disse que apenas abriu a porta do tríplex para o ex-presidente, que estava acompanhado do coordenador de engenharia da empreiteira.

O dono da empresa especializada em reformas contratada pela OAS para remodelar o apartamento disse que estava na obra quando foi surpreendido pela chegada da ex-primeira-dama Marisa Letícia e de mais três homens - entre eles Lulinha e o então presidente da OAS, Léo Pinheiro, o amigo de Lula que mais tarde viria a ser preso pela Lava-Jato.

O zelador do prédio contou aos promotores que Lula e Marisa estiveram no imóvel pelo menos duas vezes e que, para a chegada dos visitantes ilustres, a OAS ordenou que o prédio passasse por uma limpeza e fosse decorado com "arranjos florais". O zelador disse ainda que, durante uma das visitas, seguranças de Lula travaram o elevador enquanto o petista estava no imóvel, o que fez com que moradores de outros apartamentos se queixassem.

A promotoria tende a ajuizar um processo contra os envolvidos no caso, segundo divulgou Veja. Ao mesmo tempo que agradava Lula, a OAS multiplicava o saldo devedor de outros mutuários da Bancoop que haviam adquirido apartamentos. Do empresário Walter Didário, por exemplo, a empreiteira cobrou 600 000 reais além do que ele já tinha pago. "Eu me sinto um completo idiota", diz ele. A construção do edifício e a luxuosa reforma no tríplex não foram os únicos favores prestados pela empreiteira a Lula. Como também a revista revelou, a OAS bancou ainda a reforma do sítio que a família frequenta em Atibaia (SP).
Proxima Anterior Inicio