EM DESTAQUE

Comissária sobrevivente defende piloto: "Morreu como herói"

A comissária de bordo sobrevivente do voo com o time da Chapecoense, Ximena Suárez Otterburg saiu em defesa do piloto Miguel Quiroga, que ...

Rádio Online

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Dois casos de violência doméstica foram registrados nesta segunda no Cariri Paraibano

Dois casos de violência doméstica foram registrados em duas cidades do Cariri Paraibano, na tarde desta segunda-feira (25).

A primeira ocorrência foi registrada no Sítio Tigre da Ema, pertencente ao município de São João do Tigre. Segundo as informações repassadas pela Delegacia de Polícia, por volta das 16:00 horas, a guarnição comandada pelo 3º sargento Wilson foi solicitada para apoiar o agente de polícia Leonardo em uma ocorrência de violência doméstica e furto de um celular.

A guarnição saiu em diligência e quando encontrou o acusado ele informou um nome falso. O mesmo foi conduzido para averiguação do nome na delegacia de polícia da cidade. Porém, no caminho para a delegacia, o acusado conseguiu fugir, adentrando em um matagal. A polícia o perseguiu e conseguiu capturá-lo. Com a averiguação realizada na delegacia, foi constatado que o suposto acusado seria o responsável por praticar os crimes.

O autor da violência doméstica e do furto tem 20 anos, e iniciais J.S.O, o mesmo reside do sítio Tigre de Cima.

Já o segundo caso de violência contra a mulher foi registrado em Serra Branca, na Avenida Deputado Álvaro Gaudêncio de Queirós. A vítima foi uma senhora de 59 anos de idade, com iniciais M. P. B. C. O acusado de ter praticado a violência é o pedreiro com iniciais A. C. S. de 57 anos.

Segundo as informações repassadas pela Delegacia de Polícia, por volta das 17:56 horas desta segunda-feira (25), a guarnição de serviço foi solicitada pelo agente de Polícia Civil, Marcos, que informou que duas mulheres se dirigiram a Delegacia de Polícia do Município para prestar uma denúncia de violência doméstica.
Ainda segundo as informações da polícia, a guarnição realizou diligências e encontrou o acusado. O mesmo foi encaminhando para a Delegacia e ao chegar lá, a vítima o reconheceu. O acusado foi entregue a autoridade competente para serem realizados os procedimentos cabíveis.

Dados sobre a violência sofrida pelas mulheres
Dados divulgados pela Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), em relação às denúncias realizadas entre janeiro a outubro de 2015, contatou-se que 38,72% das mulheres em situação de violência sofrem agressões diariamente; para 33,86%, a agressão é semanal.

Dos relatos de violência registrados na Central de Atendimento nos dez primeiros meses de 2015, 85,85% corresponderam a situações de violência doméstica e familiar contra as mulheres.

Nos dez primeiros meses de 2015, do total de 63.090 denúncias de violência contra a mulher, 31.432 corresponderam a denúncias de violência física (49,82%), 19.182 de violência psicológica (30,40%), 4.627 de violência moral (7,33%), 1.382 de violência patrimonial (2,19%), 3.064 de violência sexual (4,86%), 3.071 de cárcere privado (1,76%) e 332 envolvendo tráfico (0,53%).

Os atendimentos registrados pelo Ligue 180 revelaram que 77,83% das vítimas possuem filhos (as) e que 80,42% desses (as) filhos(as) presenciaram ou sofreram a violência.

 De Olho no Cariri
Proxima Anterior Inicio