EM DESTAQUE

Comissária sobrevivente defende piloto: "Morreu como herói"

A comissária de bordo sobrevivente do voo com o time da Chapecoense, Ximena Suárez Otterburg saiu em defesa do piloto Miguel Quiroga, que ...

Rádio Online

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

EUA DEVE PEDIR PARA AMERICANAS GRÁVIDAS NÃO VIREM AO BRASIL

Autoridades da área de Saúde dos Estados Unidos estudam emitir um alerta para que americanas grávidas não venham para o Brasil. De acordo com reportagem do jornal The New York Times, o motivo é o surto epidêmico de zika que se espalhou pelo País. Caso isso ocorra, será a primeira vez que o Centers for Disease Control and Prevention (CDC) - tipo de Anvisa especializada em doenças infectocontagiosas - aconselhará mulheres grávidas a evitar uma região específica.

Com a proximidade das Olimpíadas do Rio, o alerta, que é tido como certo, terá efeito devastador no turismo. O problema é que há o risco de um efeito em cadeia com outros países acompanhando o conselho. O diretor de doeças transmissíveis por mosquitos do CDC, Lyle Petersen, disse já ter encontrado o zika vírus em tecido de quatro crianças brasileirs, dois bebês que tiveram microcefalia, e morreram logo após nascerem, e dois fetos que morreram no útero.

De acordo com o dr. Petersen, a microcefalia tem várias outras causas, desde defeitos genéticos ao contágio da gestante por rubéola ou citomegalovírus. Ele explica que as amostras "parecem com o que veríamos se uma infecção fosse a causa".

O jornal alega que, apesar do conselho ser "obviamente" para viagens ao Brasil, poderia ser estendido à grande parte da América Latina, lembrando que a transmissão do zika vírus já foi identificada em 14 países: Brasil, Colômbia, El Salvador, Guiana Francesa, Guatemala, Haiti, Honduras, Martinica, México, Panamá, Porto Rico, Paraguai, Suriname e Venezuela.

LF com diário do cariri
Proxima Anterior Inicio