EM DESTAQUE

Comissária sobrevivente defende piloto: "Morreu como herói"

A comissária de bordo sobrevivente do voo com o time da Chapecoense, Ximena Suárez Otterburg saiu em defesa do piloto Miguel Quiroga, que ...

Rádio Online

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Nove presos da Paraíba são aprovados para universidades no Sisu

Com JP - Dos 525 apenados no sistema prisional da Paraíba inscritos no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), nove foram aprovados em universidades públicas de João Pessoa e Campina Grande. Os destaques do Estado foram os apenados da Penitenciária de Segurança Máxima Geraldo Beltrão, no bairro de Mangabeira, na capital, sendo a unidade prisional que teve o maior número de presos aprovados pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ao todo, foram 42 inscritos e três selecionados na primeira chamada, podendo aumentar ainda mais esse número na segunda etapa de convocação. 

Para estudar fora da unidade, eles vão precisar de autorização da Vara das Execuções Penais de João Pessoa. 

Entre os destaques na Paraíba está o único apenado que tirou nota máxima no curso escolhido e foi classificado na primeira opção. Rodrigo Antônio Monteiro, 35 anos, está preso há 4 anos, e há 1 cumpre pena na Máxima, em regime fechado. Ele responde pelos crimes de roubo e estupro. O gosto pelo estudo e pelas letras começou em outra unidade, onde cumpria pena, após a condenação. No Silvio Porto, ficou por 3 anos e foi lá que Rodrigo Antônio foi inserido no universo dos livros.

Como objetivo de vida escolheu o curso de Letras, turno da noite, oferecido pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Isso só foi possível após fazer e ser classificado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), com 601,8 pontos. A ironia é que o tema da redação do Enem pedia para que o candidato dissertasse sobre 'Violência Conta a Mulher', nessa prova, Rodrigo Antônio atingiu a nota alta de 760 pontos. 

No dia a dia entre a cela, a sala de aula e o pátio, o livro era o artigo inseparável, assim como conta o diretor da penitenciária, João Sintônio. “Ele foi o destaque da penitenciária pela colocação e nota da redação. O empenho e a dedicação dele e dos demais aprovados eram vistos nas aulas e nos tempos reservados à prática do estudo”, comentou. 

Além dele, os outros dois aprovados da Máxima Geraldo Beltrão também dedicaram horas de estudo durante o ano passado e nos meses que antecederam as provas. Adam Júnior Campelo, 30 anos, preso há seis anos, em Mangabeira, em cumprimento ao crime de Tráfico de Drogas, passou em 6º lugar para o curso de Pedagogia da UFPB. O outro classificado foi Mateus Alves da Silva, 32 anos, preso há 2 anos por homicídio.  “Foi uma surpresa, mas esse resultado só confirmou o trabalho que já havíamos desempenhado. O sistema penitenciário da Paraíba disponibiliza salas de aula desde a educação básica até o ensino médio profissionalizante. Todos os inscritos assistiam aulas, estudavam em grupos e participaram de aulão de revisão. Isso foi possível através da Secretaria de Estado da Educação (SEE)”, destacou Sintônio. 

Ainda conforme o diretor da Penitenciária de Segurança Máxima Geraldo Beltrão, os três apenados cumprem pena em regime fechado e todos concluíram o Ensino Médio na unidade. 



AUTORIZAÇÃO

Para terem o direito de assistir aula na universidade, os apenados precisam de uma autorização do Poder Judiciário. 

“Em primeiro momento, a prioridade é a efetivação das matrículas, na própria UFPB, buscado junto às famílias, para que possam trazer a documentação necessária. No segundo momento, vamos nos reunir para ver a questão operacional, até manter contato com a própria universidade, com acompanhamento dos servidores”, pontuou.

Caso os apenados não obtenham a autorização da Vara de Execuções Penais, a unidade vai buscar realizar parceria com faculdade particular, onde serão concedidas dez bolsas de estudo. “Os primeiros lugares serão contemplados e vão poder ter acesso ao ensino a distância”, garantiu.

Lista dos nove aprovados por curso e presídio

Presídio de Segurança Máxima Geraldo Beltrão, em João Pessoa 

um para Pedagogia, um para Produção Sucroalcooleira e um para  Letras (Língua Portuguesa)

Penitenciária Juiz Hitler Cantalice, em João Pessoa

um reeducando para o curso de Letras Clássicas Grego/Latino

Presídio Monte Santo, em Campina Grande

um reeducando para Administração

Presídio Regional de Sousa

um reeducando para Agroecologia

Presídio Romero Nóbrega,em Patos

um para o curso de Medicina Veterinária, um para Engenharia Civil e um para Ciências Contábeis
Proxima Anterior Inicio