EM DESTAQUE

Incêndio entre Junco do Seridó e Assunção é considerado o maior desastre ambiental da região do seridó e cariri

Entre Junco do Seridó e Assunção, a mata está sendo destruída há vários dias por conta de um incêndio incontido pelos bombeiros. O fo...

Rádio Online

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Olímpio Oliveira: “Não quero mais ser líder da oposição na CMCG”

Com a saída do vereador Murilo Galdino da liderança da oposição na Casa de Félix Araújo, o nome mais cotado para o cargo estaria sendo o do vereador Olímpio Oliveira, que já defendeu a bancada por três anos.

Mas, em entrevista na manhã desta segunda-feira, 25, na Rádio Campina FM, Olímpio disse que não quer mais ser líder da oposição na Câmara Municipal de Campina Grande.

Ele alegou que, desde a campanha de reeleição do governador Ricardo Coutinho, quando o PMDB se aliou ao PSB, que tenta dialogar com o socialista para apresentar demandas da população e até hoje a conversa não aconteceu.

Olímpio disse que queria que algumas tivessem sido inseridas no programa de governo para o Estado. Esta seria uma forma de se justificar perante o eleitorado que o questionasse por que estaria defendendo Ricardo Coutinho.

– Estamos em uma aliança com o Estado e eu projetei expectativas, pelo menos de diálogo. Conversei com Veneziano e com líderes do meu partido para intermediar esta conversa, mas não aconteceu, nem na campanha e nem agora. As pessoas lhe apresentam demandas estaduais e por você ser líder da oposição e por estar no mesmo projeto político, acham que tem muito prestígio ou uma interlocução com o governo. Mas, muitas vezes isso não funciona desse jeito – desabafou.

O parlamentar disse ainda que para ser líder de uma bancada, tanto da situação quanto da oposição, requer muita concentração, pois existem muitas cobranças. Ele ressaltou que para tal cargo existe o ônus, mas precisa ter também o bônus.

– Não tem sentido você ser líder de uma bancada, dentro de um mesmo projeto sem ao menos ter tido diálogo. Eu não tenho mais necessidade de me submeter a esse tipo de teatro. Não estou disposto a participar mais da liderança da oposição porque eu já dei minha contribuição e eu só participo daquilo que acredito. Temos colegas talentosos, que têm mais proximidade e intimidade com o governador do que eu e que podem fazer esse trabalho de líder – defendeu o vereador.

As demandas que o vereador apresentaria ao governador Ricardo Coutinho, são:

– Autonomia financeira e administrativa da Polícia Civil;

– Isenção de ICMS para compra de motos novas para os mototaxistas;

– Rede de tratamento para dependentes químicos em Campina Grande.

FONTE: Da Redação com Secom/PB
Proxima Anterior Inicio