EM DESTAQUE

Inep divulga hoje gabaritos da segunda aplicação do Enem

Os candidatos que fizeram a segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no último fim de semana, dias 3 e 4, terão acesso ...

Rádio Online

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Participantes da São Silvestre dizem querer ‘correr do PT’ em 2016

No Brasil, o ano de 2015 foi marcado por momentos ruins em diferentes campos: crises política e econômica, morte de nomes importantes da cultura, suspeitas de esquemas de corrupção no esporte nacional. Nas redes sociais, não foram poucas as vezes que expressões como “acaba, 2015″ tomaram conta da web.

A Folha foi à São Silvestre e fez duas perguntas a dez participantes da prova: 1) do que você está correndo em 2015?; 2) o que você espera de 2016?

No balanço, predominaram as críticas aos políticos, principalmente ao PT.

Foi o caso da médica Wilse Segamarchi, 44, que disse que participou da corrida para “selar o ano”, que, do ponto de vista pessoal, foi bom. “Em 2016, quero deixar para trás o PT, pois, como médica, virei vilã deles”, afirmou.

O administrador de empresas Carlos Antonio Bonazzi Junior, 52, também manifestou desejo de correr do partido da presidente Dilma Rousseff. Para o ano que inicia, ele diz que gostaria que as crises acabassem, “para o Brasil voltar a crescer”. “Está difícil gerar emprego”, queixa-se.

A bancária Juliana Donzelli, 30, se diz “pessimista” e afirma desejar que “tirem a Dilma do poder” e acabe “toda a corrupção no país, que entristece”.

A cabeleireira Salete Cavalli, 55, correu com uma camisinha gigante na cabeça –era uma aposta com amigas, “e também para lembrar da Aids, que continua por aí”. Salete quer correr da “crise financeira”, e faz votos para que o país melhore e “o desemprego diminua”.

O auxiliar de limpeza Marcos Antonio Magalhães, 39, afirma correr dos impostos. “Temos sempre que nos manifestar e cobrar.” Ele cobra dos políticos que “pensem no povo, e não só em roubar.”

O policial militar Paulo Sérgio Pinto da Silva, 33, reclama “da corrupção e da desigualdade” e diz esperar um ano com “mais esperança e mais empatia”.

Já Fernando Bronze, 34, funcionário público, quer correr da violência, “o grande problema da humanidade” e pede paz, amor e respeito em 2016.

O empresário Juliano Pellarin, 55, fez uma declaração de amor à ex-mulher, Joana D’Arc, que faleceu há um ano e quatro meses após um AVC, e à atual companheira, Rita. Deseja mais saúde –e cobra mais organização da São Silvestre que, segundo ele, demorou para avaliar sua inscrição e estornou o pagamento, sob o argumento de excesso de participantes.

Adriano Brandão, 37, advogado, também disse que gostaria de correr de problemas de saúde, pois teve um familiar adoentado na temporada. Além disso, também lamentou as crises no país. Para 2016, ele já tem uma agenda positiva: o primeiro filho e o casamento de seu irmão.

Já a personal trainer Maira Cury, 28, disse que não quer deixar nada de 2015 para trás. “Vejo tudo o que aconteceu como motivação para buscar coisas novas.” Para o novo ano, ela quer novas corridas e inspirar mais pessoas a praticarem esportes.

Folha
Proxima Anterior Inicio