EM DESTAQUE

Comissária sobrevivente defende piloto: "Morreu como herói"

A comissária de bordo sobrevivente do voo com o time da Chapecoense, Ximena Suárez Otterburg saiu em defesa do piloto Miguel Quiroga, que ...

Rádio Online

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Carro de prefeitura com selo do SUS é flagrado levando grupo à praia, na Paraíba

Correio - O Programa Saúde na Escola, do governo federal, visa à integração e articulação permanente da educação e da saúde, proporcionando melhoria da qualidade de vida dos educandos. Para isso, o Ministério da Saúde disponibiliza às gestões municipais, com as quais tem o programa pactuado, recursos, equipamentos e até transporte, mas na Paraíba o veículo cedido para a Saúde da Prefeitura de Jericó (no Sertão), a 422 quilômetros da Capital, teria sido utilizado de forma irregular. Veja as fotos abaixo.

Um flagrante registrado por um leitor do Portal Correio mostra um veículo Fiat Doblò da Secretária Municipal de Jericó transportando pessoas para a praia de Coqueirinho, no município do Conde, na Grande João Pessoa. As fotos foram feitas no dia 18 de janeiro deste ano, uma segunda-feira.

Nas imagens é possível ver pessoas com trajes de banho saindo do veículo, dentre elas uma criança, dois homens e três mulheres. O carro é identificado com adesivos do Ministério da Saúde, do Programa Saúde na Escola e da Prefeitura Municipal de Jericó. Ainda no veículo, está escrito que ele foi adquirido “com recursos do Ministério da Saúde”.

O Portal Correio tentou entre segunda-feira (25) e essa segunda (1º) entrar em contato com a secretária de Saúde, Maria José Barbosa, através do telefone da Prefeitura, mas apenas na quarta-feira (27) a ligação foi atendida por um funcionário, que não ajudou muito e falou que o expediente na Secretaria já havia sido encerrado.

O Portal Correio também tentou, pelo mesmo período, entrar em contato com o prefeito Cláudio de Oliveira, mas as ligações não foram atendidas. 

De acordo com as diretrizes do Programa da Saúde na Escola, o beneficiários deveriam ser estudantes da Educação Básica, gestores e profissionais de educação e saúde, comunidade escolar e, de forma mais amplificada, estudantes da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).
Proxima Anterior Inicio