EM DESTAQUE

Incêndio entre Junco do Seridó e Assunção é considerado o maior desastre ambiental da região do seridó e cariri

Entre Junco do Seridó e Assunção, a mata está sendo destruída há vários dias por conta de um incêndio incontido pelos bombeiros. O fo...

Rádio Online

sábado, 20 de fevereiro de 2016

“RANGER DE DENTES”: Lançamento do livro de Pâmela Bório promete polêmica na Paraíba

A jornalista Pâmela Bório anunciou na sua conta do Instagram que irá lançar um livro em breve. A publicação, que já tem título, Ranger de dentes: as disputas entre os poderes, irá contar parte das disputas judiciais com o seu ex marido, o governador Ricardo Coutinho. A rixa entre o casal é motivada pela guarda do filho, fruto do casamento dos dois.

As declarações da ex primeira dama sempre geram grandes polêmicas e a perspectiva de um livro tão revelador pode colocar fogo em vários setores da sociedade paraibana. Segundo Pâmela, o livro ainda não tem data para lançamento, mas será “um documento para interessados no judiciário, executivo, legislativo e imprensa“.

Veja a publicação na íntegra:

Esclarecendo o que muitos ainda indagam, reafirmo que nunca perdi a guarda do meu filho. 
O que aconteceu foi a maior aberração jurídica de que temos conhecimento: uma juíza estabeleceu um tipo de guarda compartilhada que não existe em lugar algum nesse país, desvirtuando o próprio conceito legal. 
Ela instituiu uma “guarda compartilhada” em que eu e o meu filho temos contato apenas nas terças e quintas com pouco mais de uma hora de duração em cada um desses dias. 

Traçando um comparativo, em verdade, eu fico menos tempo com o meu filho do que as próprias apenadas e suas proles, que têm o DIA INTEIRO de visita por duas vezes na semana, como acontece na maioria das prisões. 

Somado a isso, temos apenas dois pernoites por mês (sábados alternados, devendo eu entregar o meu filho até às 19h dos domingos seguintes). Ou seja, em um mês, eu não chego a 5% do tempo do meu filho. 
E tudo isso baseado apenas em uma petição desfundamentada na realidade – sim, a mesma juíza tomou essa decisão em julho de 2015 sem ter feito nenhum exame psicossocial da criança, sem considerar qualquer defesa ou contestação do pedido do governador. 

Para terem uma idéia da manobra, a mesma juíza resolveu fazer um exame apenas em outubro para referendar a decisão dela de julho. Essa juíza sequer é a titular da vara da família: houveram muitas movimentações orquestradas pelo presidente do TJ, adestrado pelo governador, para o meu caso cair em suas mãos a fim dela fazer que foi feito, dessa forma, no mínimo, repugnante. 

Outros detalhes sobre os bastidores desse e outros casos sórdidos estarão no meu livro a ser lançado em breve com o título “Ranger de dentes: as disputas entre os poderes”. Um documento para interessados no judiciário, executivo, legislativo e imprensa.

Fonte: Polêmica Paraíba
Proxima Anterior Inicio