EM DESTAQUE

Incêndio entre Junco do Seridó e Assunção é considerado o maior desastre ambiental da região do seridó e cariri

Entre Junco do Seridó e Assunção, a mata está sendo destruída há vários dias por conta de um incêndio incontido pelos bombeiros. O fo...

Rádio Online

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Sobe para seis número de mortos em acidente entre dois carros no Sertão

JP-Subiu para seis o número de mortos no acidente entre dois carros ocorrido na PB-293, no trecho que liga as cidades sertanejas de Paulista e São Bento. Adalice Raimundo da Silva, mãe do pastor que dirigia um dos carros, morreu na noite de terça-feira (9) no Hospital de Trauma de Campina Grande. Na segunda-feira (8), quando aconteceu a colisão, três pessoas morreram no local do acidente e duas a caminho do hospital. Três crianças estão entre os mortos.

O acidente ocorreu por volta das 19h de segunda. De acordo com o relato de testemunhas, um veículo Monza, que vinha superlotado, colidiu frontalmente com uma Hillux depois de ter feito uma ultrapassagem proibida. No Monza, que seguia no sentido Paulista para São Bento, havia sete pessoas. Na Hillux, que estava no sentido oposto, havia mais quatro.

Apesar de ainda não ter a confirmação por meio do laudo pericial, que só deverá ser concluído em 10 dias, a Polícia Civil acredita que, além da superlotação, o motorista do veículo Monza possivelmente estava alcoolizado. “Sabemos que eles vinham de uma festa de Carnaval e relatos levam a crer que possivelmente ele bebeu”, comentou o delegado responsável pelo caso, Homero Perazzo Filho.
Adalice Raimundo foi a única ocupante da Hilux a morrer. Na tarde da terça-feira, o Serviço Social do Trauma de Campina Grande chegou a informar que ela estava fora de perigo, após ter passado por uma cirurgia. O filho dela, o pastor José Edgar fraturou o pulso e o fêmur, passou por cirurgia e está se recuperando. As outras duas pessoas que estavam no veículo já foram liberadas.



Todos os outros mortos no acidente estavam no Monza. São eles: o motorista  Otimar Prince Lopes, 33 anos, a esposa dele, Tatiane Duarte, 27 anos, e o filho Thierry, 8 anos. Também morreram os irmãos Maria Clara Araújo e Hélio Araújo, 4 e 5 anos, respectivamente. Tatiane e Hélio morreram a caminho do hospital. Dos ocupantes do cargo, sobreviveram Mariele Araújo, 27 anos, e Anderson Batista da Silva. Ela está internada em estado grave no Trauma de Campina Grande e ele, no Regional de Patos.

O que chama a atenção no acidente, segundo o delegado Homero Perazzo, além do excesso de passageiros no Monza, é o fato de que nenhum dos ocupantes do veículo usava cinto de segurança. “O Monza é um carro sem airbag, sem segurança alguma, e mesmo assim ninguém usava cinto de segurança, as crianças, que deveriam estar em cadeirinhas, eram transportadas sem respeitar essa exigência, e isso contribuiu para a tragédia. Uma família inteira destruída”, lamentou.
Proxima Anterior Inicio