EM DESTAQUE

Inep divulga hoje gabaritos da segunda aplicação do Enem

Os candidatos que fizeram a segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no último fim de semana, dias 3 e 4, terão acesso ...

Rádio Online

sexta-feira, 25 de março de 2016

Deputado da PB diz que não pode se posicionar sobre Impeachment para não prejudicar processo na Câmara

Após assumir a liderança do PTB na Câmara Federal, o deputado federal Wilson Filho (PTB) afirma que não poderá declarar seu posicionamento a respeito do processo de Impeachment que enfrenta a presidente da República, Dilma Rousseff (PT). Isso porque pertence a um parlamentar do seu partido a relatoria da Comissão Especial que avalia o Impedimento, o deputado federal Jovair Arantes, do estado de Goiás. E, segundo ele, qualquer interferência da legenda neste momento pode prejudicar o prosseguimento dos trabalhos da comissão.

“Na verdade tem uma motivação de eu ter me tornado líder do PTB. O ex-líder,  Jovair Arantes se tornou relator na Comissão de Impeachment, e regimentalmente, constitucionalmente falando, tanto ele como o partido ao qual ele é filiado, não pode mais se  posicionar publicamente com relação ao ato ao qual ele é relator, neste caso, sobre o impeachment”, explicou.

Além disso, ele afirma que ainda está indeciso quanto ao impedimento da presidente Dilma Rousseff. “O que penso é que o processo de impeachment da principal figura pública deste país, a presidente da República, tem que ter argumentos jurídicos além dos políticos. E todo este processo que está sendo feito através de Curitiba com a Operação Lava Jato, tem todo o meio apoio, a minha confiança e acho que é muito legítimo. Acredito que ele avança chegando a lugares ainda não sabidos”, declarou.

E continuou: “E o que eu penso, refletindo o sentimento do processo, é que aqueles que são favoráveis ao Governo Federal o são baseados na ideia de que não há ainda crime praticado pela presidente Dilma e não há como se falar em impeachment se não tiver um crime que é objetivamente o motivo pelo qual a Constituição permite a cassação da presidente pelo impeachment. Aqueles que são favoráveis ao impeachment acham e defendem que não há mais como a economia voltar a crescer com a presidente Dilma na presidência”, disse.

Segundo ele, o PTB agora com um papel fundamental neste processo que pode mudar o cenário político do país, se posicionará com equilíbrio para tomar a decisão mais acertada. “Estamos avaliando muito bem. O PTB hoje não apenas na figura do relator, mas com toda a sua bancada, fará este relatório com muito equilíbrio, ouvindo os dois lados, tomando uma decisão que permita se ter uma consciência tranquila. Então não posso antecipar a minha opinião e o meu posicionamento sob risco de prejudicar institucionalmente ou judicialmente o processo de impeachment, mas confesso que estou muito indeciso em relação a isso porque tem muita coisa em jogo, temos que avaliar aquilo que é melhor para a economia, para o Brasil, para os paraibanos”, afirmou.
Proxima Anterior Inicio