EM DESTAQUE

Inep divulga hoje gabaritos da segunda aplicação do Enem

Os candidatos que fizeram a segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no último fim de semana, dias 3 e 4, terão acesso ...

Rádio Online

quinta-feira, 10 de março de 2016

Deputados batem ponto mas não dão expediente na Assembleia

JP-Mais de 88 matérias legislativas que constavam na pauta de votação de ontem da Assembleia Legislativa não foram apreciadas porque, apesar de estar em horário de trabalho, a maioria dos deputados estaduais registrou presença no painel eletrônico mas deixou o plenário. Além de Anísio Maia (PT), que presidia a sessão, apenas quatro parlamentares estavam no plenário, número insuficiente inclusive para que fosse iniciado o grande expediente. 

Raniery Paulino (PMDB) criticou a atitude dos colegas e acredita que o esvaziamento do plenário havia sido combinado previamente entre os deputados governistas. “Não estou sugerindo corte de salário, estou pedindo apenas respeito. Isso fica muito feio para essa Casa. Só quem pode melhorar a imagem da classe política somos nós, os políticos, se fizermos pelo menos o nosso dever de casa”, destacou Paulino. No Legislativo, as sessões ordinárias ocorrem apenas nas terças, quartas e quintas-feiras, quando deveriam ser votadas as matérias legislativas.

“Hoje é dia de quarta-feira. Todas as casas legislativas, seja a menor Câmara de Vereadores da Paraíba até a mais alta casa, está apreciando, votando as matérias”, destacou Paulino. Descontente com a falta de quórum, Raniery Paulino também criticou a administração de Adriano Galdino (PSB) e o acusou de utilizar formas distintas para tratar os demais deputados.

PUNIÇÕES?

“Amanhã (hoje) serei censurado. O presidente vai me censurar por minha fala. Pode ser que corte meu ponto por eu estar falando isso aqui. Talvez eu até fique prejudicado na Casa de alguma forma. Aqui o sistema é presidencialista, sim, quem é amigo do presidente tem um tamanho, que não é amigo tem outro”, disse na tribuna da casa. 

Daniella Ribeiro (PP) e Camila Toscano (PSDB) aproveitaram para mais uma vez criticar a alteração no horário de funcionamento da Assembleia. Conforme ato assinado por Galdino, o expediente seria encerrado às 15h, com o intuito de reduzir gastos com energia elétrica, por exemplo, mas na prática, a situação é diferente. Por volta do meio-dia, poucos são os parlamentares que permanecem na Casa. 
Camila Toscano sugeriu que fosse realizada uma reunião da Mesa Diretora com o colegiado de líderes para discutir a medida, que segundo ela, tem prejudicado a realização de sessões especiais. “Nós não conseguimos fazer sessão especial, não conseguimos trabalhar nos gabinetes sem ar-condicionado. Essa foi uma decisão tomada pela Mesa sem ouvir os deputados”, afirmou.


Daniella Ribeiro solicitou que fosse apresentado um detalhamento dos valores economizados pela Assembleia a partir da alteração no expediente. “Não existe nenhuma Câmara Municipal e nenhuma Assembleia que tenha tomado decisão como essa. Não dá para compreender e principalmente não dá para trabalhar”, destacou.

ROTEIRO DA GAZETA NO LEGISLATIVO PARAIBANO

Desde o início da atual Legislatura, o presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino (PSB), promete punir os faltosos e os deputados que marcam o ponto, mas desaparecem. Ontem, até ele marcou o ponto e não voltou para a Casa

Em plenário

Anísio Maia (PT) 
Jutay Meneses (PRB)
Raniery Paulino (PMDB)
Tovar Correia Lima (PSDB) 

Retornaram para o grande expediente

Camila Toscano (PSDB)
Daniella Ribeiro (PP)
Bruno Cunha Lima (PSDB) 
Dinaldinho Wanderley (PSDB)

Gazeteiros

Adriano Galdino
Artur Filho
Doda de Tião
Emano Santos
Estela Bezerra 
Frei Anastácio
Galego Souza
Hervázio Bezerra 
Inácio Falcão
Jeová Campos
José Aldemir
Manoel Ludgério
Olenka Maranhão
Tião Gomes 
Zé Paulo
Gervásio Maia 

Faltaram

Arnaldo Monteiro 
Bosco Carneiro
Branco Mendes
Buba Germano
Caio Roberto
Edmílson Soares
Genival Matias
João Gonçalves
Nabor Wanderley
Ricardo Barbosa
Ricardo Marcelo 
Proxima Anterior Inicio