EM DESTAQUE

Comissária sobrevivente defende piloto: "Morreu como herói"

A comissária de bordo sobrevivente do voo com o time da Chapecoense, Ximena Suárez Otterburg saiu em defesa do piloto Miguel Quiroga, que ...

Rádio Online

quinta-feira, 17 de março de 2016

No Cariri tem gente tomando querosene como remédio contra chikungunya

Moradores dos municípios de Monteiro e Serra Branca, ambos no Cariri paraibano, a 302 km e 243 km de João Pessoa, estão correndo risco de ficar com sequelas graves de saúde por estarem ingerindo querosene com água para tratar sintomas de dengue, zika e chikungunya. O problema foi confirmado pela Saúde de Serra Branca, que registrou dois casos de pessoas que passaram mal e foram socorridas as pressas para hospitais da região após ingerir a mistura líquida.

De acordo com o secretário de Saúde de Serra Branca, Marcelo Jackson, as pessoas que ingeriram água e querosene relataram que foram orientadas por conhecidos e que a mistura amenizaria as dores nas articulações causadas pelas doenças.

“Em Serra Branca tivemos dois casos. Os pacientes beberam um copo de água com três gotas de querosene. Eles relataram que a indicação da bebida foi feita por outras pessoas e que a mistura iria amenizar dor articular. Só que o querosene é derivado de petróleo e isso causa danos imensos ao organismo. O querosene, mesmo que em pequenas partes, não deve ser ingerido”, contou o secretário.
Segundo Marcelo Jackson, a ingestão do querosene é tida como um auto-envenenamento, já que a pessoas que utiliza o liquido tem a consciência de que o querosene vai causar danos ao organismo.

“O querosene não é um medicamento, é um combustível. O risco para a pessoa que ingere essa substância é de intoxicação, danos ao esôfago, estômago, ao sistema nervoso e problemas cardíacos. Tomar o querosene para tratar doença é um erro e não pode acontecer”, afirmou o secretário.

Ainda segundo Marcelo Jackson, a situação mais grave aconteceu no município de Monteiro, onde diversas pessoas teriam passado mal ao ingerir a mistura de água e querosene.

A secretária de Saúde de Monteiro, Ana Lorena, disse que não soube de nenhum caso de pessoas que tenham ingerido a mistura no município, mas que vai apurar as informações, mas ressaltou que a prefeitura realizou campanha para evitar a automedicação em casos suspeitos de dengue, zika, ou chikungunya.
“Até então não tenho conhecimento de pessoas que tomaram essa mistura em Monteiro. Iremos investigar a situação. Nos últimos dias promovemos campanhas até para evitar a automedicação”, disse a secretária.
Principal hospital da região, o Trauma de Campina Grande não havia registrado, até o fechamento desta matéria, atendimentos de pessoas relacionados a ingestão de querosene com água para aliviar sintomas de dengue, zika ou chikungunya.

Segundo a Secretaria de Saúde da Paraíba, entre os dias 1º de janeiro e 9 de março deste ano, o Estado registrou dois óbitos de casos suspeitos de Chikungunya, ambos em investigação.

Com Portal Correio
Proxima Anterior Inicio