EM DESTAQUE

Comissária sobrevivente defende piloto: "Morreu como herói"

A comissária de bordo sobrevivente do voo com o time da Chapecoense, Ximena Suárez Otterburg saiu em defesa do piloto Miguel Quiroga, que ...

Rádio Online

quarta-feira, 23 de março de 2016

PF ENCONTRA LISTA DA ODEBRECHT COM REPASSES PARA MAIS DE 200 POLÍTICOS

A Polícia Federal apreendeu planilhas que listam repasses da empreiteira Odebrecht para mais de 200 políticos de 18 partidos políticos, segundo o blog de Fernando Rodrigues. Os documentos estavam com Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, em dois endereços ligados ao executivo, nos bairros do Leblon e Copacabana, no Rio de Janeiro.

A operação é um desdobramento da 23ª fase da operação Lava Jato, que acabou com a prisão de João Santana, marqueteiro de Dilma e Lula, e sua mulher, Mônica Moura. O cartel das empreiteiras da Lava Jato aparece, de forma cifrada, como " Sport Club Unidos Venceremos", em referência à partilha do esquema de corrupção que afanou bilhões da Petrobras.

As planilhas são detalhadas e trazem nomes, cargos, partidos, valores recebidos e apelidos de cada político.Também foram encontrados comprovantes bancários, bilhetes manuscritos e textos impressos, alguns fazem menção a obras públicas, como a "Linha 3 do Metrô do Rio de Janeiro".

Os apelidos encontrados pela PF são curiosos: Eduardo Cunha é "Caraguejo"; Jaques Wagner, "Passivo"; José Sarney, "Escritor"; Renan Calheiros, "Atleta". Nelas aparecem nomes fortes como de Aécio Neves (PSDB) e Romero Jucá (PMDB). O ex-candidato a Presidência, falecido em 2014, Eduardo Campos (PSB) também está na lista. 

Em algumas tabelas aparecem doações de campanhas que estão registradas no Tribunal Superior Eleitoral, sendo mencionados os CNPJs e números das contas dos partidos políticos.

Aparecem as doações feitas na campanha eleitoral de 2012, eleições de prefeitos e vereadores, tendo divergências com as informações declaradas no Sistema de Prestação de Contas Eleitorais do TSE.

A Contrutora Noberto Odebrecht doou em 2010 o montante de R$ 5,9 milhões para partidos e comitês de campanhas. Em 2012 foram R$ 25.490,000 para comitês de campanha e partidos políticos, para a candidatura de Luiz Marinho (PT), prefeitura de São Paulo, o valor foi menor R$ 50 mil. Existem também dados da campanha de 2014, quando a soma das doações ficou em R$ 48.478.100, valor que foi dividido entre comitês e candidaturas individuais.

Veja as planilhas que foram apreendidas durante a Operação Acarajé:




Proxima Anterior Inicio