EM DESTAQUE

JUAZEIRINHO: GOVERNO AVANÇA NA SEGURANÇA HÍDRICA E MANTÉM RITMO FORTE DE TRABALHO

Programa Água Doce na Barra  O governo da cidade de Juazeirinho avança como se não fosse terminar em 31 de dezembro. O ritmo de trabalh...

Rádio Online

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Crise reduz consumo de combustível e gás de cozinha na PB

JP-Venda de combustíveis caiu cerca de 20% nos dois primeiros meses do ano, no Estado. O consumo do gás de cozinha também foi atingido, com queda de 15%.

As vendas nos postos de combustível já caíram cerca de 20% neste primeiro bimestre na Paraíba, segundo estimativas do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Derivados de Petróleo no Estado da Paraíba (Sindipetro-PB). A retração na compra de combustíveis às distribuidoras no Estado já pode ser observada pelo número da Agência Natural de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) que aponta uma redução de 5,5% no produto, incluindo gasolina, diesel e etanol.

O diesel apresentou recuo maior (-10,7%) e em segundo lugar aparece a gasolina (-3,2%). Apenas o etanol teve alta de 4,4% no bimestre, mas em fevereiro registrou forte baixa de 26,2% nas vendas. “Essa queda no consumo é reflexo do menor poder de compra dos consumidores, que cada vez mais estão deixando o carro em casa”, declarou Omar Hamad, presidente do Sindipetro-PB.

Como consequência da demanda menor,  Hamad contou que o mercado está reduzindo margem de lucro nos preços do produto, tentando economizar nos custos mensais da empresa e até  demitindo pessoal. “As grandes redes investem em preços atrativos que não podem ser seguidos pelos pequenos, que por sua vez são os mais penalizados e podem até fechar pela perda de clientes”.

Entre os maiores pesos nos custos dos empresários do ramo de combustíveis, Omar Hamad citou  pagamento de pessoal, custos fixos como energia elétrica e carga tributária. Segundo ele, somente a taxa do Ibama aumentou 157% este ano.

GÁS DE COZINHA

A retração nas vendas abalou também as vendas do gás de cozinha. A  estimativa do presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás da Paraíba (Sinregás), Marcos Antonio Bezerra, é  de uma redução de 15% no bimestre. Já a ANP aponta queda de 2,2% no período na Paraíba. “As famílias devem estar recorrendo ao carvão ou mesmo resto de madeira para cozinhar. Com isso, alguns revendedores estão reduzindo a margem de lucro para baixar o preço e vendendo gás até a R$ 46, enquanto a média é R$ 55”, declarou Marcos Bezerra.
Proxima Anterior Inicio