EM DESTAQUE

Incêndio entre Junco do Seridó e Assunção é considerado o maior desastre ambiental da região do seridó e cariri

Entre Junco do Seridó e Assunção, a mata está sendo destruída há vários dias por conta de um incêndio incontido pelos bombeiros. O fo...

Rádio Online

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Lista da morte: quadrilha ordenava crimes de dentro dos presídios

As Polícias Civil e Militar prenderam nesta quinta-feira (4), 12 pessoas acusadas de integrar uma quadrilha que agia dentro dos presídios da Paraíba, ordenando roubos e homicídios. As prisões fazem parte da operação ‘Cárcere’, deflagrada em Itabaiana e João Pessoa. Nas investigações a polícia identificou que a quadrilha possuía uma ‘lista da morte’.

Entre os detidos está um técnico em manutenção de câmeras de segurança que trabalhava nas Penitenciárias PB1, Róger (João Pessoa) e Serrotão (Campina Grande).

Foram presos: Tarcísio José da Silva, de 32 anos (é tido como chefe do grupo); Davyd José Melo do Nascimento, de 26 anos (técnico de câmeras de segurança); Zenaide de Oliveira, de 42 anos; Luiz Gomes de Lira, de 56 anos; Ivaldo Silva de Araújo, de 20 anos; Elivan Vicente da Silva, de 21 anos; Iago Ferreira de Souza, de 22 anos; Keoma da Silva Souza, de 21 anos; Cézar da Silva, de 31 anos; Petrônio Lucas Dias, de 18 anos; Josemir Cipriano da Silva Júnior, de 19 anos e Mário de Brito Marinho, de 21 anos.

“Nossa intenção foi coibir o tráfico de drogas na região de Itabaiana e prevenir os crimes contra a vida, que vinham sendo executados por uma quadrilha bem articulada. Os alvos da operação compõem o primeiro e o segundo escalão do grupo preso e que comandava diversos tipos de crimes de dentro de unidades prisionais. Outros envolvidos foram identificados e mais prisões devem ocorrer nos próximos dias”, explicou o delegado Hugo Helder.

As investigações policiais tiveram início no mês de março de 2016, após a denúncia de um crime envolvendo um adolescente, assassinado e esquartejado na cidade de Itabaiana.

“Em nossos levantamentos, conseguimos identificar que o Tarcísio era apontado como o mandante do homicídio. Logo depois do assassinato, outras mortes violentas, além de roubos e incêndios a residências, apareceram e estavam sempre sendo atribuídas ao mando de Tarcísio, o chefe desse grande esquema criminoso que desarticulamos”, disse o delegado.

As investigações também indicaram que Tarcísio e comparsas planejavam uma série de assassinatos na cidade de Itabaiana, com o intuito de assumir o tráfico de drogas na região. “Descobrimos uma possível lista da morte, que já contava com o nome de sete pessoas que provavelmente seriam executadas”, explicou.

MaisPB
Proxima Anterior Inicio