EM DESTAQUE

Incêndio entre Junco do Seridó e Assunção é considerado o maior desastre ambiental da região do seridó e cariri

Entre Junco do Seridó e Assunção, a mata está sendo destruída há vários dias por conta de um incêndio incontido pelos bombeiros. O fo...

Rádio Online

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Corpo de menina de 13 anos é encontrado perfurado e com sinais de abuso sexual

Uma adolescente de 13 anos foi encontrada morta com sinais de violência dentro de um apartamento na rua Francisco José Viana, Cidade Tiradentes, zona leste de São Paulo. O cadáver foi localizado às 19h20 desta segunda-feira (24). Ela estava desaparecida desde a tarde de domingo (23).

Imagens de um circuito de segurança mostram a adolescente Giovana Lucilly Balduino no caixa do supermercado.

Ela estava pagando por algumas batatas que tinha ido comprar para o almoço. O relógio marcava 12h51 do último domingo. Logo depois, ela sai e vai embora.

Essas foram as últimas imagens da estudante de 13 anos. O pai dela disse que depois de levar as batatas para casa, ela saiu de novo, e sumiu.

A família chegou a fazer um boletim de ocorrência por desaparecimento, mas Giovana foi encontrada no dia seguinte. Ela tinha duas perfurações no pescoço e sinais de abuso sexual.

O corpo estava em baixo da cama do apartamento do porteiro Ricardo dos Santos Rodrigues, 44 anos. Ele mora em frente da casa da menor.

Por volta das 16h da tarde desta segunda-feira, Ricardo foi até o apartamento da ex-mulher e entregou as chaves do apartamento dele dizendo que iria trabalhar.

Três horas depois, ela foi até a casa dele para fazer uma limpeza e quando acendeu a luz, encontrou a menina morta, em baixo da cama, desesperada ela saiu correndo pedindo socorro.

O pai da menina se aproximava e quando entrou para ver o que estava acontecendo, reconheceu a filha por meio de uma cicatriz na perna.

O pai da jovem diz que no domingo à tarde, ainda chegou a conversar com Ricardo depois que a menina já tinha sumido, sem desconfiar que ele era o principal suspeito.

O delegado ainda não pediu a prisão de Ricardo e, segundo a polícia militar, ele pode ser o principal suspeito, mas não é o único.

A PM informou que o pai da menina, a mãe e a ex-mulher de Ricardo também são suspeitos. O caso foi encaminhado ao 49º distrito policial, de São Mateus.

R7
Proxima Anterior Inicio