segunda-feira, 29 de maio de 2017

Previsão continua indicando chuvas com intensidade de 'moderada a forte' na PB

A previsão da Agência Executiva de Gestão das Águas continua indicando chuvas, com intensidade de moderada a forte, para as próximas horas no Litoral da Paraíba.

“Continua o deslocamento de nuvens vindas do oceano Atlântico em direção a costa leste dos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Com isso, o tempo deverá permanecer com muitas nuvens e chuva que pode variar de intensidade moderada a forte”, alertou a meteorologista, Marle Bandeira.

A previsão de fortes chuvas no Litoral foi repassada pela Aesa para a Defesa Civil estadual e também dos municípios, além de Corpo de Bombeiros. 

“O setor de monitoramento da Aesa permanece o estado de atenção nas próximas 24 horas, acompanhando em tempo real os dados enviados pelas estações meteorológicas e analisando as imagens de satélites, para alertar estes órgãos sobre possíveis eventos críticos como enchentes”, informou o presidente da Aesa, João Fernandes, no início da tarde desta segunda-feira (29).

Entre as manhãs desse domingo (28) e desta segunda-feira (29) a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa) registrou 149,5 milímetros chuvas em Bayeux, cidade onde mais choveu neste período na Paraíba. O valor registrado corresponde a 61,4% da média histórica de todo o mês de maio, que é 243,5 milímetros. 

No mesmo período, a Sala de Situação da Aesa, que monitora a variação climática de forma ininterrupta em todo o estado, também anotou índices pluviométricos significativos em João Pessoa (140,4 mm) e Santa Rita (121,6 mm). “Se somarmos os acumulados ao longo deste mês nestas cidades, os aumentos em relação às médias históricas de maio são de 56% e 77%, respectivamente”, concluiu Marle. 

Grande João Pessoa enfrenta problemas

Além de Bayeux, outra cidade da Região Metropolitana de João Pessoa que teve problemas com as chuvas foi Cabedelo.

Segundo a prefeitura, os locais mais afetados foram o Parque Esperança, no Renascer; Vila Feliz e Oceania, no Jacaré, Poço, Camboinha e os Jardins Alfa, Beta e Gama. Ainda conforme a gestão, em nenhum desse locais foram verificados danos graves à população.

Em caso de emergências com alagamentos, a população deve ligar para o telefone da Defesa Civil do Estado, 199.

Orientações da Defesa Civil em Cabedelo:

- Evitar jogar lixo nos rios, galerias, terrenos baldios e vias públicas (os resíduos atrapalham a vazão das águas e, no caso de bueiros, entopem o sistema de drenagem instalado nas ruas, provocando alagamentos);

- Evitar a construção desordenada, principalmente de casas e abrigos;

- Evitar áreas ribeirinhas sob risco de inundação;

- Evitar a circulação de pessoas e animais nos locais de inundação e alagamentos;

- Evitar ficar próximo de encostas e construções inseguras, principalmente nas enchentes e chuvas torrenciais;

- Evitar a praia e terrenos descampados durante período chuvosos, devido à ocorrência de raios;

- Evitar entrar em contato com a água de enxurradas, de bueiros e lama (podem estar contaminadas e causar doenças, como a febre tifóide, hepatite, leptospirose, dentre outras). Caso entre em contato com água contaminada e tenha sintomas como vômitos, febre, diarréia, dores musculares ou ferimentos, procure imediatamente uma unidade de saúde;

- Não enfrentar a correnteza e inundações, já que os alagamentos podem esconder bueiros abertos e buracos, trazendo riscos de acidentes;

- Se estiver de carro, dirija sempre devagar e evite entrar em locais alagados e baixos, como nas proximidades de rios e ribeirões. Evite também transitar por locais alagados e onde forem registradas ocorrências, como queda de barreiras e outros. Além disso, não estacione ou permaneça sob árvores, especialmente se estiver ventando forte;

- Quem mora em áreas de risco, o ideal, primeiramente, é procurar locais mais seguros para poder se deslocar, para sair com total segurança (Uuma medida fundamental é que essas pessoas se cadastrem nos Centros de Referência em Assistência Social – CRAS municipais);

- Em casos de alagamento em casas e estabelecimentos, procurar desligar a chave de energia do local. Feito isso, colocar os eletrodomésticos, móveis e pertences em posições mais elevadas.
Share:

Curta nosso trabalho no facebook

Mais notícias