quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Ministério da Integração não quer fim do racionamento em Campina Grande

O Ministério da Integração Nacional está recomendando a continuidade do racionamento de água para o sistema que abastece Campina Grande, no Agreste paraibano, a 130 quilômetros de João Pessoa, e mais 13 cidades da região. No início do mês, o Secretário de Recursos Hídricos da Paraíba, João Azevêdo, anunciou o fim do racionamento para o dia 26 de agosto.

Nesta quarta-feira (16), o Secretário de Infraestrutura Hídrica do Ministério, Antônio de Pádua Andrade, disse, durante reunião realizada em Campina Grande para discutir o assunto, que a segurança hídrica da região só será alcançada quando o açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão, atingir 97 milhões de metros cúbicos de água. Segundo ele, a marca seria suficiente para abastecer as cidades por um período de um ano, sem racionamento.

Antônio de Pádua revelou que atualmente o reservatório conta com 31,95 milhões de metros cúbicos, o que corresponde a 8,1% de sua capacidade total.

O deputado Bruno Cunha Lima (PSDB), se disse preocupado com o fato de o fim do racionamento está próximo e o açude de Boqueirão só armazenar pouco mais de 7,5% de sua capacidade máxima. Segundo ele, quando o racionamento teve início em Campina Grande o reservatório possuía aproximadamente 20%. “Isso gera uma preocupação em todos nós”, revelou.

Já a deputada Daniella Ribeiro (PP), preferiu adotar o tom de cautela e revelou que até a população tem se mostrado contrária ao fim do racionamento. A parlamentar lembrou que vários técnicos tem se posicionado com essa mesma opinião e alertou para a possibilidade de um prejuízo maior no futuro. “É preciso que o governo repense isso para que não tenhamos um prejuízo maior posteriormente”, arrematou.

Créditos: Portal Correio
Share:

São Vicente do Seridó firma parceria com a UFCG

Curta nosso trabalho no facebook

Mais notícias