quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Juiz determina transferência de Lula para Tremembé, interior de SP

O juiz Paulo Eduardo de Almeida Sorci determinou nesta quarta-feira (7) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cumpra pena no presídio de Tremembé, no interior de São Paulo. A decisão se dá poucas horas após a Justiça Federal do Paraná determinar a transferência de Lula da carceragem da Polícia Federal do Paraná atendendo pedido da própria PF, que alega que a manutenção do ex-presidente no local traz problemas como custos extras e aglomerações.

Em sua decisão, o juiz Paulo Eduardo de Almeida Sorci, que é coordenador e corregedor do Departamento Estadual de Execuções Criminais de São Paulo, afirmou: "autorizo a remoção do preso para este Estado, onde ficará recolhido na Penitenciária II de Tremembé 'Dr. José Augusto César Salgado'". A data da transferência ainda não foi determinada.

A assessoria de Lula, ainda não se manifestou sobre a transferência para Tremembé. Mais cedo, a defesa do ex-presidente informou que pediu a suspensão da transferência porque aguarda julgamento de habeas corpus pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em relação à condenação no caso do triplex do Guarujá (SP). Os advogados do ex-presidente também se queixam que não foi concedida a possibilidade de que Lula ocupe uma prisão especial ou Sala de Estado Maior.

O ex-presidente cumpre pena de 8 anos e 10 meses por condenação no caso do triplex. Lula também já foi condenado a 12 anos e 11 meses por corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo sítio de Atibaia e recorre da decisão.

Famosos

A Penitenciária II de Tremebé, chamada de P2, é conhecida por abrigar presos que cometeram crimes de repercussão nacional. O local abriga Cristian Cravinhos, condenado por matar os pais de Suzane von Richthofen; Alexandre Nardoni, condenado por matar a filha Isabella Nardoni; Mizael Bispo, condenado por matar Mércia Nakashima; o ex-médico Roger Abdelmassih; Gil Rugai, condenado por matar o pai; Lindenberg Alves, condenado por matar a jovem Eloá Cristina durante um sequestro em Santo André; e Guilherme Longo, padrasto acusado de matar o menino Joaquim.

PT

O Partido dos Trabalhadores divulgou nota em que classificou a decisão da Justiça Federal do Paraná como "novo ato de perseguição" a Lula ao negar "arbitrariamente as prerrogativas de ex-presidente da República e ex-Comandante Supremo das Forças Armadas".

O partido disse que "exige que os direitos e a segurança pessoal de Lula sejam garantidos pelo Estado brasileiro, até que os tribunais reconheçam a sua inocência, a parcialidade da sentença de Moro e a ilegalidade da prisão, onde quer que seja cumprida".

R7
Share:

Escute reportagem especial

Curta nosso trabalho no facebook