sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Preço do GNV sobe e ameaça funcionamento de oficinas

O avanço no preço do Gás Natural Veicular (GNV) nos últimos meses vem ameaçando o funcionamento de oficinas na Paraíba. Nesta quinta-feira (27), representantes das Oficinas Instaladoras de Gás Natural Veicular na Paraíba e da Associação dos Motoristas dos Transportes Privados e Individuais da Paraíba se reuniram com o Procon-JP para discutirem os altos preços do GNV na Capital.

O secretário Helton Renê explica que o aumento no preço do GNV está causando problemas de várias ordens. “Além da reclamação dos consumidores, que se sentem prejudicados com o valor atual do produto, que pela nossa pesquisa do último dia 18 estava em R$ 3,719, vários segmentos profissionais, como o das oficinas e motoristas de aplicativos e taxistas, também estão se queixando”, afirmou.

Diferença para Pernambuco
O titular do Procon-JP esclarece que a Secretaria vai trabalhar na parte que lhe compete na defesa dos consumidores, mas também vai utilizar os argumentos dos profissionais como base para a investigação. “Eles levantaram várias questões, como impostos, preço do produto na fonte e comparativos com outros Estados, a exemplo de Pernambuco, que recebe o GNV de mais longe e, no entanto, revende mais de R$ 1,00 mais barato. Que lógica é essa?”, questionou.

Tragédia
Para ele, o problema se agrava assustadoramente devido à perspectiva do fechamento das oficinas que fazem a manutenção e as vistorias do equipamento. “O fechamento dessas oficinas, além de criar um problema social deixando dezenas de pais de famílias desempregados, provoca um outro, muito grave, que é o de provocar uma tragédia com resultados nefastos. Isso é uma realidade assustadora, como nos foi mostrado pelos representantes da oficinas, inclusive com fotos de explosões devido a um serviço malfeito ou pela falta de manutenção”, disse Helton.

Era o mais barato
De acordo com o representante das oficinas, Bruno Leão, os aumentos verificados no GNV no último ano podem extinguir esse segmento na Capital e em Campina Grande devido à falta de interesse dos usuários em adquirir esse produto, que se tornou mais caro que o álcool e que a gasolina. “Quem instalou o equipamento para o uso do GNV estava tentando economizar porque o produto era o combustível mais barato. Investiram no equipamento, que é caro, e ainda pagam ao Detran, anualmente, mais de R$ 1.300 pela vistoria”, afirmou Bruno Leão.

 Alto risco
Ao todo, são 8 oficinas que trabalham com o GNV na Paraíba, sendo 5 em João Pessoa e 3 em Campina Grande. Klemes Rivorêdo Chacon, que tem uma oficina em Campina, alerta que, atualmente, os acidentes que ocorrem com os carros que usam o GNV são os que usaram o serviço clandestino ou de ‘curiosos’. “Quando o serviço é realizado pelas oficinas legalizadas, o serviço é garantido. Todo o pessoal que usa o GNV vai ficar descoberto e correr riscos por falta da manutenção e revisão de peças”.

Campina Grande

Helton Renê relembra que os procons de João Pessoa e Campina Grande vêm discutindo a alta do preço do GNV nas duas cidades, inclusive para realizar ações conjuntas. “Campina Grande registrou majoração de preços do GNV maior que João Pessoa com o produto apresentando um preço de R$ 3,95”, disse o secretário, acrescentando que o Procon-JP vai analisar a situação exposta durante a reunião e tomar as medidas cabíveis.
Share:

Balanço Geral - Correio FM 98.1

Confira os principais destaques do dia!

Escute reportagem especial

Curta nosso trabalho no facebook

Mais notícias