Conheça a capital do nepotismo na Paraíba

Não é apenas na Prefeitura de Ingá que denúncias de nepotismo vêm aflorando nos últimos tempos. A Câmara de Vereadores do município também se transformou em um cabide de empregos para familiares de políticos e servidores, conforme denúncia recebida pelo Fonte83.

O presidente da Casa, o vereador Alcides Gomes de Andrade, nomeou o próprio filho, Francisco de Assis Guedes de Andrade, para ocupar o cargo de tesoureiro do Câmara. Desde sua nomeação, em janeiro do ano passado, até o mês de outubro de 2019, Francisco de Assis recebeu dos cofres públicos a quantia de R$ 41.916, de acordo com dados do Sagres. Não satisfeito, Alcides Gomes de Andrade ainda nomeou sua outra filha, Maria Jeane Guedes Soares, para o cargo de assessora de gabinete da Câmara.

Segundo a denúncia, o presidente da Câmara de Vereadores de Ingá ainda está envolvido em pelo menos dois outros casos de nepotismo cruzado. Em um deles, Alcides nomeou, em acordo com a Secretaria Adjunta de Educação Municipal, José Agra da Silva para o cargo de assessor de gabinete, com vencimentos mensais que variaram de R$ 1.497 a R$ 2.487. José Agra é marido de Suleide Agra, atual secretária-adjunta da Educação e pré-candidata a prefeita.

Em outro caso de nepotismo cruzado, Alcides Gomes nomeou – em acordo com o secretário de Ação Social de Ingá, Alexandre Santos Vilas Boas -, a senhora Maria Morgana Borba Lira Carvalho para o cargo de assessora técnica. Até o mês de outubro de 2019, Maria Morgana recebeu R$ 8.982 em vencimentos; ela é sobrinha de Alexandre Santos Vilas Boas e da secretária adjunta de comunicação do município, Verushka Borba de Lira Vilas Boas.
Reactions