Família descobre que idoso dado como morto por Covid-19 está vivo após erro de hospital na PB

A família de um aposentado de 71 anos recebeu a notícia de que o idoso havia morrido por Covid-19 mas descobriu, cerca de oito horas depois, que o paciente estava vivo e internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, Região Metropolitana de João Pessoa.

Geraldo Gonçalves de Cardoso deu entrada na unidade há cerca de 15 dias onde está fazendo tratamento após contaminação pelo novo coronavírus. Segundo o filho dele, José Carlos Cardoso, o hospital acionou a família no início da manhã da quinta-feira (30) para avisar que o aposentado havia morrido.

“O pessoal do hospital ligou para o meu sobrinho avisando que ele fosse lá. Quando meu sobrinho chegou lá, eles apresentaram o laudo de morte do meu pai”, disse Geraldo. O documento apontava como causa da morte Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), Covid-19 e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.

A equipe da unidade hospitalar levou o neto do aposentado para fazer o reconhecimento do corpo e quando chegou no local, a surpresa. Nenhum dos corpos era o de Geraldo.
“Eles mostraram alguns corpos, mas a gente queria saber, porque os corpos não eram do meu pai, mas tinha um com o nome dele. O endereço estava errado, estava como Mangabeira [bairro de João Pessoa], mas meu pai é de Mandacaru”, explica José Carlos.

O filho disse que a família começou, então, a procurar pelo idoso dentro do hospital, e que só por volta das 15h a unidade informou que encontrou o idoso na UTI.

“É uma coisa muito séria, um sofrimento muito grande. A família toda ficou sabendo, aqui na Paraíba, no Rio de Janeiro, em São Paulo, todo mundo ligando direto e a gente se estressando com o problema todo, perdemos dia de trabalho. Tudo bem que é um erro humano e estamos felizes por ele estar vivo, mas isso não pode acontecer com ninguém”, completa José Carlos.

Em nota enviada na noite da quinta-feira, a direção do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires informou que o caso se tratou de um erro humano e que houve uma troca de registro de paciente, o que resultou em uma informação equivocada de óbito.

A nota diz ainda que ao identificar o equívoco, a família foi imediatamente informada que o paciente estava vivo e segue sob cuidados da equipe da UTI COVID. A direção lamenta o erro e ratifica ainda a solidariedade e suporte à família.

G1 PB
Reactions