segunda-feira, 27 de maio de 2019

Dólar fecha em alta, monitorando cena política e de olho em exterior

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira (27), com investidores monitorando o cenário político brasileiro um dia após atos em favor de Jair Bolsonaro e propostas do governo e com as eleições parlamentares da União Europeia no radar.

A moeda norte-americana subiu 0,49%, a R$ 4,0348. Veja mais cotações. Na máxima do dia, chegou a R$ 4,0408. No ano, o dólar acumula avanço de 4,15%.

Cenário local

Investidores monitoram o cenário político local após manifestações ao redor do país em defesa do presidente Jair Bolsonaro.

No entanto, há alguma cautela pelo fato de manifestantes terem dirigido protestos ao Congresso Nacional, notadamente no presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em um momento em que parlamentares se mostram dispostos a avançar com a pauta econômica proposta pelo governo, destaca a Reuters.

As manifestações, que foram repercutidas por membros do governo, incluindo o próprio presidente, podem sair como um tiro no pé, causando irritação ao Congresso em meio a uma já fragilizada relação entre Executivo e Legislativo, ainda de acordo com a agência.

"O fato de Bolsonaro ter abandonado a tentativa de se distanciar das manifestações – publicando tweets e mensagens ao longo de todo o domingo – fornece ingrediente para que os já insatisfeitos no Congresso reforcem o clima de animosidade com o Executivo", avaliaram analistas e economistas da XP Investimentos, em nota.

Já para Rafael Cortez, sócio e analista político da Tendências, os atos do domingo não têm força suficiente para alterar a correlação de forças entre o governo e o Congresso, como queria, ao menos inicialmente, Bolsonaro.

"O número de participantes mostra que o governo ainda tem diálogo com a sociedade, mas também não é expressivo o suficiente para referendar a ideia que o Executivo representa a vontade da maioria e que forçar o Congresso a ter postura mais cooperativa. Os atos não foram grandes como o do último dia 15 e também ficaram aquém de outras manifestações da direita no período recente", disse ao Valor Online.

Cenário externo
No exterior, o pregão teve volume reduzido em razão de feriados no Reino Unido e nos Estados Unidos, com as atenções voltadas para as eleições parlamentares da União Europeia, destaca a Reuters.

Enquanto houve um aumento dos partidos nacionalistas dentro do Parlamento Europeu, siglas pró-UE permaneceram com a maioria das cadeiras, sem nenhuma mudança relevante no equilíbrio das forças.

Investidores avaliavam que um crescimento da presença de partidos nacionalistas e eurocéticos dentro do Parlamento Europeu elevaria as incertezas econômicas na região, já abalada pelas tensões ligadas ao Brexit.

Share:

Confira os principais destaques do dia!

Escute reportagem especial

Curta nosso trabalho no facebook

Mais notícias