quinta-feira, 27 de julho de 2017

Paraíba registra maior percentual de arrecadação de ICMS do NE

Seis dos nove Estados nordestinos registraram aumento na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), nos cinco primeiros meses do ano.

Descontada a inflação, a arrecadação regional chegou à marca de R$ 29,5 bilhões, que corresponde a 1,5% de crescimento em relação ao mesmo período de 2016. Assim, projeta-se a retomada do progresso econômico, especialmente na Paraíba, em Sergipe e em Alagoas. O levantamento é do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), do Banco do Nordeste, com base em dados do Banco Central e Ministério da Fazenda.

 Paraíba

No Nordeste, o maior incremento foi registrado na Paraíba (+4,5%), que arrecadou R$ 2,1 bilhões de janeiro a maio. Os setores terciário (45,7%), petrolífero (23,7%)  e secundário (13,8%) compõem a maior participação na arrecadação de ICMS no Estado.

 Nordeste

Além da Paraíba, a arrecadação do imposto aumentou em outros cinco Estados da região: Alagoas (+4%), Sergipe (+3,1%), Bahia (+2,8%), Piauí (+2,5%) e Pernambuco (+2,3%).

Quanto à perda verificada no Estado do Maranhão (-2,8%), a explicação reside principalmente na queda da arrecadação dos setores de petróleo, combustíveis e lubrificantes, bem como no setor de energia. E no Ceará (-1,6%) e Rio Grande do Norte (-0,5%), a perda real da arrecadação está relacionada aos setores primário e secundário.

Quase metade da arrecadação nordestina é representada, em média, pelo setor terciário: 44,5%. Nos cinco primeiros meses do ano, a arrecadação do setor cresceu 5,4%.

 Setores

A arrecadação somada dos setores secundário, terciário, energia além de petróleo, combustíveis e lubrificantes alcançou 95,8% da arrecadação total do ICMS no Nordeste no período analisado.

 Brasil

A arrecadação de ICMS no Brasil alcançou R$ 178,8 bilhões de janeiro a maio, que corresponde a perda real de 0,2% no período. Na escala nacional, somente as regiões Sul (+8,7%) e Nordeste (+1,5%) aumentaram a arrecadação.

Em termos de participação relativa, a liderança é do Sudeste, que responde por 49,2% do ICMS arrecadado. Em seguida, ficam as regiões Sul (19,5%), Nordeste (16,5%), Centro-Oeste (8,9%) e Norte (5,8%). Mais informações sobre a pesquisa estão disponíveis em: https://www.bnb.gov.br/diario-economico-2017

MaisPB
Share:

Curta nosso trabalho no facebook

Mais notícias