segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Grupo suspeito na ação do PB1 é preso em flat na praia

As polícias da Paraíba localizaram e prenderam no fim da tarde desta segunda-feira (10) parte do grupo que teria participado do resgate dos presos do PB1. Foram presos cinco homens, além de mulheres, que estavam hospedados em um flat, na orla de Manaíra. Com o bando, que seria da cidade de Campina Grande, foram apreendidas seis armas de fogo, entre elas, um fuzil.

O Governo do Estado informou que 92 detentos da Penitenciária de Segurança Máxima Dr. Romeu Gonçalves de Abrantes – PB1 e PB2, em João Pessoa, fugiram durante a ação na madrugada e minimizou o caso, chamando-o de ‘”pontual”. Durante a manhã, a informação era de haviam fugido 105 detentos.

A Secretaria de Segurança do Estado disse que, até as 16h desta segunda (10), 41 apenados foram recapturados. Um deles foi baleado durante ações da polícia e socorrido para o Ortotrauma de Mangabeira, na Zona Sul de João Pessoa.

Em entrevista coletiva na Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), as forças de segurança da Paraíba confirmaram o emprego de mais de 1.000 policiais militares e civis, que reforçam as buscas para recapturar detentos foragidos.

De acordo com o tenente coronel Sérgio Fonseca de Souza, secretário de Administração Penitenciária do Estado, a ação criminosa teve como alvo o resgate dos detentos Romário Gomes da Silveira, conhecido como ‘Romarinho’, Ivanilson Pereira de Macedo e Antônio Arcênio de Andrade Neto, todos suspeitos de assalto e explosão a carro-forte e presos pela Polícia Militar da Paraíba no dia 6 de agosto deste ano, na cidade de Lucena.

Entenda o caso

Noventa e dois detentos fugiram da Penitenciária de Segurança Máxima Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1) na madrugada desta segunda-feira (10). A fuga em massa aconteceu após um grupo composto por ao menos 20 homens fortemente armados invadir o complexo prisional e detonar explosivos no portão principal. A intenção dos bandidos seria resgatar quatro detentos, que são suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em roubo a bancos. Muitos outros presos acabaram aproveitando a oportunidade para escapar da unidade.

Um tenente da Polícia Militar acabou gravemente ferido durante a fuga em massa. Ele estava na sede da Academia de Polícia Civil (Acadepol), no momento em que foi atingido por um tiro na cabeça. O prédio fica na rodovia estadual PB-008, que fez parte da rota de fuga dos detentos. O policial foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma, em situação grave.

Moradores das imediações do presídio ouviram a explosão e tiros. Nas redes sociais, áudios, fotos e vídeos circulam demonstrando o medo das pessoas, que relatam, inclusive, a possível invasão de detentos a casas próximas ao PB1.
Share:

Balanço Geral - Correio FM 98.1

Confira os principais destaques do dia!

Escute reportagem especial

Curta nosso trabalho no facebook

Mais notícias