quinta-feira, 9 de maio de 2019

Empresa que atua na PB é suspeita de sonegar R$ 65 milhões

Uma empresa que atua no mercado da Paraíba é alvo da Operação Mar Aberto, deflagrada nesta quinta-feira (9) pela Polícia Civil de Pernambuco. Um DJ e mais quatro parentes dele, dentre eles pai, mãe e irmã, foram conduzidos à sede do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco), em Recife, suspeitos de sonegar mais de R$ 65 milhões. A operação foi integrada e contou com a participação da polícia da Paraíba e de São Paulo.

A Polícia Civil de Pernambuco confirmou que um grupo de empresas investigado movimentou cerca de R$ 358 milhões em cinco anos. Durante a operação, foram apreendidos 28 carros de luxo, quatro embarcações e 15 imóveis, além de joias e obras de artes. Cerca de nove mandados de prisão preventiva foram cumpridos.

Ainda de acordo com as informações, na Paraíba não houve prisão nesta quinta, mas um mandado de busca e apreensão foi cumprido. A operação teve participação de 100 policiais civis de Pernambuco, duas equipes da Policia Civil de São Paulo e outra da Paraíba, além da Secretaria da Fazenda (Sefaz).

“O dinheiro que a empresa sonegou, que são tributos, fez e faz falta para os cofres de Pernambuco. A tendência é que o que foi apreendido seja revertido novamente para os cofres e é possível que outros mandados ocorram e que mais coisas sejam apreendidas”, informou o diretor da Polícia Civil de Pernambuco, Jean Rockfeller.

Segundo a polícia, o grupo da família investigada reúne 11 empresas em Pernambuco e na Paraíba.

A investigação começou em dezembro de 2017, com o objetivo de prender integrantes de uma organização criminosa voltada para a prática dos crimes de lavagem de dinheiro e crime tributário.
Share:

Confira os principais destaques do dia!

Escute reportagem especial

Curta nosso trabalho no facebook

Mais notícias