Agências bancárias são fechadas após funcionário ter sintomas de Covid-19, em Campina Grande

Duas agências bancárias foram fechadas temporariamente após um funcionário apresentar sintomas da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, no Centro de Campina Grande, nesta quarta-feira (13). Segundo o Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, um funcionário do Banco do Brasil está com suspeita da doença e foi afastado. No mesmo endereço funcionam duas agências que tiveram atendimento suspenso e a ficarão fechadas por tempo indeterminado.

Em nota, o Banco do Brasil informou que um funcionário foi afastado com suspeita de Covid-19. A unidade está fechada por tempo indeterminado e toda a equipe da unidade foi afastada temporariamente das funções.

"O Banco do Brasil informa que suspendeu, temporariamente, a prestação de serviços nas agências Borborema e Empresarial Campina Grande, que funcionam no mesmo endereço, em razão de suspeita de contaminação de colaborador pelo coronavírus. A decisão atende aos protocolos e recomendações emitidas pelas autoridades sanitárias e aqueles adotados pela própria empresa", diz a nota.

Conforme o presidente do Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, Esdras Luciano, na noite de segunda-feira (11) o sindicato recebeu a confirmação de que o exame do funcionário teria dado positivo para coronavírus. "O funcionário que testou positivo trabalha em um prédio em que funcionam quatro agências do banco. Entramos em contato com o gestor da unidade solicitando as medidas do protocolo do próprio banco", disse.

De acordo com a nota do Banco do Brasil, após a sanitização das unidades, o banco avaliará a retomada do atendimento, que deve ocorrer em curto espaço de tempo. Os clientes das agências Borborema e Campina Grande podem buscar atendimento alternativo nas demais agências da instituição no município, nos correspondentes bancários e terminais da rede 24 horas.

Segundo o banco, a agência já seguia recomendações, como o atendimento contingenciado, atendendo apenas casos urgentes ou especiais, e direcionando clientes aos canais alternativos, como os caixas eletrônicos e meios digitais.

Ainda conforme o sindicato, o protocolo do banco não é o suficiente. "Todos os funcionários deveriam ser colocados em isolamento e não só aqueles que tiveram contato mais próximo", disse.

G1 PB
Reactions